Publicado 01 de Julho de 2015 - 17h21

Por Correio.com

Helicóptero estava em um hangar do aeroporto Campo de Marte em São Paulo

Divulgação

Helicóptero estava em um hangar do aeroporto Campo de Marte em São Paulo

Investigadores da Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (Dise) de Campinas localizaram um helicóptero, modelo Agusta, do traficante preso no começo do mês passado Valdecir Vieira da Costa, conhecido como "Baiano". A aeronave no valor de R$ 3 milhões e com capacidade para carregar até 800 quilos estava no aeroporto Campo de Marte, em São Paulo. Segundo a investigação da polícia, ela seria usada para o tráfico de drogas. O helicóptero será apreendido pela polícia.

Além da aeronave, a polícia descobriu outros oito imóveis no nome do traficante, todo com valores acima de R$ 1 milhão. Um deles, uma cobertura no Guarujá, no valor de R$ 2 milhões, foi negociada como entrada no helicóptero. Os imóveis, a maioria estão vazios e outros locados, ficam nas cidades de Indaiatuba, Itupeva, Hortolândia, Nazaré Paulista e Guarujá. Todos adquiridos com dinheiro proveniente do tráfico de drogas, além de postos de combustíveis, do traficante, localizados nos municípios de Hortolândia e Itupeva. Segundo as investigações, Baiano levava uma vida de ostentação, comprava mansões, barcos e carros de luxo.

Ele era classificado pela polícia como um dos principais traficantes da região de Campinas. Promovia o tráfico de pasta base e de cocaína, para outros estados da região Norte e Nordeste, além de atuar no tráfico internacional. De acordo com a investigação, ele fazia mensalmente viagens ao Paraguai.

Ele foi preso pela Polícia Federal, no começo do mês passado, durante a Operação Ferrari, onde foram presos dezenas de suspeitos relacionados com o tráfico internacional de drogas.

Vários nomes de colaboradores no sistema de ocultação de bens e lavagem de dinheiro movimentados por Baiano estão sendo investigados pela Dise e todo conteúdo compartilhado com Policiais Federais de Londrina, de onde partiram as primeiras prisões.

Escrito por:

Correio.com