Publicado 13 de Julho de 2015 - 13h01

Vera Fischer, atriz

Nana Moraes/Globo

Vera Fischer, atriz

Colaboração: José Carlos Nery

 

Basta assistir um pouquinho de televisão para se intrigar com certas coisas. Quer ver uma? No “SPTV – 2ª edição”, da Globo, de quinta-feira (9), portanto, aquele que vai ao ar às 7 e pouco da noite, entrou uma matéria da jovem, atropelada e morta em sua moto por um motorista bêbado. A reportagem informou que ela ia do trabalho para Zona Norte e que o acidente aconteceu em uma rua da Vila Madalena. Não disse qual?

No “Hora 1”, da mesma Globo, faixa das 5 da manhã de sexta (10), cerca de 10 horas depois, foi repetida a mesma notícia, não só dizendo como mostrando a placa da Rua Natingui. É preciso chegar a um acordo sobre essa cartilha. Pode ou não pode falar? E qual o problema de falar?

Aliás, essa Rua Natingui é aquela mesma em que Vitor Gurman, de 24 anos, foi atropelado e morto em 2013 por uma nutricionista e que até agora não aconteceu nada. Só está faltando a família dele ainda ter que pagar o conserto da Land Rover.

TV Tudo

Mesmice

A febre dos realities também invadiu a TV paga. É como um mercado, que tem de tudo um pouco, com disputa entre confeiteiros, bandas, cantores, ricas fúteis, competições de sobrevivência e outras que não levam a lugar nenhum.

Uma onda avassaladora. History e Discovery, que sempre se caracterizam por bons documentários, também entraram nessa.

Braço a torcer

Reconhecendo que nunca teve um especialista cuidando da sua programação, a Record foi tirar Douglas Fagoti do SBT. É bom, mas também não sei se é o cara.

Ele estava na equipe do Murilo Fraga. A Record tem dinheiro sobrando, mas jamais contou com alguém capaz de montar uma grade bem elaborada, com identidade e sem copiar ninguém.

Essa eu nunca vi

Na semana passada, o “Balanço Geral”, em Porto Alegre, saiu do ar às 13h58 e voltou às 14h03, exatos 5 minutos com Black, segundo se informa por desejo do apresentador Alexandre Mota.

No retorno, disse que foi um protesto contra a ferramenta que mede audiência. Se isso virar moda, teremos um festival de pisca-pisca. A TV vagalume.

Vera Fischer, atrizConvidada especial

O “Programa do Jô”, nesta segunda-feira (13), terá Vera Fischer (foto) como uma das convidadas.

A Vera, depois de 17 anos, está em cartaz no Teatro Gazeta, em São Paulo, com a peça “Relações Aparentes”, ao lado do Tato Gabus Mendes, Anna Sophia Folch e Michel Blois.

Pendências - 1

O “Programa da Tarde” foi em frente, mas deixou uma série de assuntos que ainda não foram resolvidos.

Por exemplo: o que será da Rita Lisauskas e do Carlos Cavalcante que eram repórteres do programa?

Pendências – 2

Além do Britto Junior, que também se encontra entre os não resolvidos, é preciso saber o que irá acontecer com cerca de 60 pessoas que integravam a produção do “Programa da Tarde”.

Alguns, parece, serão aproveitados no “Cake Boss”, outros numa base da Xuxa em São Paulo, mas há o risco do desvio para muitos deles.

Vendeu ou não vendeu?

O noticiário continua muito forte que a Igreja Universal teria comprado a Rede CNT. Negócio fechado. Chave na mão. Oficialmente ninguém confirma.

Mas vendendo ou não, já está na mão da igreja, com a sua programação o dia inteiro no ar, menos duas horas, para tornar legal aquilo que não deixa de ser imoral.

Não tem ninguém

A novela “Velho Chico”, de Edmara e Bruno Barbosa, ainda não tem ninguém escalado em seu elenco. Existem, isto sim, alguns nomes pensados.

A escalação deve ganhar contornos definitivos só daqui um mês, quando o diretor Rogério Gomes se desvencilhar de “Além do Tempo”.

Uma outra história

“Sassaricando” não ai prevalecer como título do próximo trabalho do Daniel Ortiz, até porque existe o desejo de usar só uns poucos personagens do original de Silvio de Abreu.

A maior parte da novela, na fila das 7, será recheada por tipos e tramas inéditos. Fred Mayrink está confirmado como diretor-geral.

A propósito

Sobre notícias de que Monica Iozzi poderá reviver Tancinha, vivida por Cláudia Raia em “Sassaricando”, já tem gente da Globo apostando que não.

Até porque a experiência dela em novelas é quase nenhuma. O ideal seria alguém com mais rodagem.

A única certeza, nesse imbróglio todo, é que a atriz vai deixar o “Vídeo Show” no fim do ano.

Bate – Rebate

· Levantamento feito, com base na quarta-feira, apurou que 41% do público do Gugu Liberato na Record é formado pelas classes A e B...

· ... E as mulheres são maioria com 60%...

· ... Para efeitos de comparação, Ratinho, seu concorrente no horário, pega mais a classe C...

· ... E também tem público feminino maior, 59%.

· Fábio Porchat, do “Porta”, além de outras zilhões de coisas, e Carla Fioroni, de “Chiquititas”, gravaram nova campanha publicitária de restaurantes online.

· O Canal Brasil vai transmitir o 43° Festival de Cinema de Gramado, na noite do dia 15 de agosto...

· ... A apresentação será de Simone Zuccolotto, com comentários de Luiz Zanin e Roger Lerina. Direção de Hilda Haubert.

· Já existem interessados, entre autores da Globo, no nome da Maíra Charken, a delegada de “Babilônia”...

· ... Ela conseguiu dar um ganho num papel que quase sempre é inexpressivo.

· A série sobre a história da televisão, que José Luiz Villamarim vai dirigir na Globo, quase ainda nem saiu do papel.

C´est fini

A Record encara como um desafio encontrar o ator ideal para protagonista de “Josué e a Terra Prometida”, a sua próxima novela bíblica.

Segundo se informa, já se concluiu que depois das pesquisas realizadas, não existe ninguém no seu banco de atores que se aproxime das características exigidas. Será necessário pegar alguém de fora.

Então é isso. Mas amanhã em mais. Tchau!