Publicado 29 de Junho de 2015 - 18h43

Por Renata Pioli

Renata Rondini

Da Agência Anhanguera

[email protected]

Com o gol que garantiu a vitória de virada sobre o Atlético-PR, o atacante Felipe Azevedo teve um domingo perfeito. Sem balançar as redes há alguns jogos, o atacante correu para o abraço e ainda pode fazer a alegria do filho Gabriel, que estava pela primeira vez no estádio.

Sem dúvida, Felipe Azevedo tem muito o que agradecer ao companheiro Biro Biro, que em tarde inspirada, foi autor do passe açucarado na cara do gol. (ele também deu a assistência para o gol de Cajá).

“O Biro teve uma tarde de garçom, no gol do Cajá ele também serviu muito bem. Ele tem esta qualidade, puxa a bola para dentro e coloca bons passes, nos treinos também. No meu gol contra o Santos também aproveitei uma finalização dele, que a bola sobrou. Eu procuro sempre entrar na área entre os zagueiros quando o Biro puxa esta bola para dentro, ele sempre enfia a bola com qualidade”, disse o atacante.

“Ele vem num momento muito bom, fez falta contra o Fluminense, vem infernizando todo mundo, é um jogador muito rápido, muito ágil e vai ainda ajudar muito a equipe. Dou uns 10% do gol para ele, já tá bom, não posso dar todo esta moral para ele não. O Biro é cheio de conversa furada, e hoje (ontem) vai falar com certeza.”

Os companheiros de clube ainda não haviam se falado após a vitória, pois Biro Biro foi sorteado para o exame de doping. E não deu outra. Ontem à tarde na reapresentação do elenco, minutos depois de Felipe Azevedo comentar sobre o seu passe perfeito, ele apareceu na sala de imprensa do Majestoso para cobrar a dívida: “Se ele não agradecer pelo passe, tá de brincadeira”, brincou o destaque da Ponte no domingo.

Felipe Azevedo tem dois gols neste Brasileirão e engrossa a lista dos artilheiros da Macaca, lidera pelo meia Renato Cajá, com cinco. Já balançaram a rede também, Biro Biro, Diego Oliveira e Tiago Alves, todos duas vezes, e Borges e Tiago Alves marcaram uma vez. A Ponte Preta tem o segundo melhor ataque da competição, ao lado do Sport, com 15 gols. A diversidade na autoria dos gols é vista com bons olhos.

“A gente tem hoje o Cajá que vem num momento espetacular, além de um líder, e acho importante todo mundo fazer gol. É legal ter esta distribuição de gols para a equipe estar bem consistente, assim no momento que um não puder jogar ter outro para suprir e fazer os gols”, afirmou Felipe Azevedo. A euforia da boa vitória sobre o Furacão já é coisa do passado, pois agora do grupo da Macaca já visa o duelo contra o Corinthians, em São Paulo, na quinta-feira.

Escrito por:

Renata Pioli