Publicado 28 de Junho de 2015 - 19h32

Por Paulo César Dutra Santana

Principal destaque do Guarani na vitória sobre o Tombense, por 2 a 1, anteontem, em Tombos, o meia Fumagalli dedicou o primeiro resultado positivo na Série C do Brasileiro aos funcionários do clube que passam por momentos complicados devido aos constantes atrasos nos salários. “Acho que essa vitória clareia alguma coisa, principalmente para os funcionários e para nossas famílias também. Dedico a eles, esta vitória”, disse o jogador.

Com a vitória, o Bugre se afastou da zona de rebaixamento e, com seis pontos, colou no G4 do Grupo B, um ponto a menos que a Portuguesa. “A gente estava precisando desta vitória. Vínhamos lutando muito nos últimos jogos e a vitória não acontecia. Ficamos 10 dias trancados longe dos nossos familiares e esta vitória foi para lavar a alma”, comentou Fumagalli.

A vitória também deixou o técnico Paulo Roberto animado. “Esperamos que seja a primeira de muitas. Logicamente, não podemos subestimar nossos adversários porque é uma competição muito difícil, mas o perfil é esse e temos que ter esse perfil. Vamos ter momentos no jogo em que as dificuldades vão se apresentar e a gente vai ter que se superar, se doar, dar a volta por cima”, comentou.

O treinador ressalta que o Bugre vai lutar pelas vitórias sem pensar em, jogar bonito. “Esse é o perfil da Série C, e das equipes que eu gosto. Também gosto de um futebol bonito, mas se não puder ter um futebol bonito, mas tiver os três pontos, principalmente na condição que o Guarani se encontra, prefiro os três pontos.”

Os estreantes Serginho Catarinense, volante, e Anderson Cavalo, atacante, ganharam vaga na equipe titular e agradaram. Quem também agradou foi o meia Lenon, autor do segundo gol. “Temos que comemorar bastante porque precisávamos muito desta vitória. Foi importante vencer fora de casa. Agora vamos para um jogo difícil contra o Madureira (domingo, às 11h, no Brinco de Ouro) e vai ser importante essa semana de trabalho para que a gente consiga um bom resultado ais uma vez, agora em casa” (Paulo Santana/AAN)

Escrito por:

Paulo César Dutra Santana