Publicado 04 de Junho de 2015 - 14h37

Por Sheila Roseli Vieira Leite

SheilaVieira

DA AGÊNCIA ANHANGUERA

[email protected]

O feriado de Corpus Christi foi marcado por celebrações nas igrejas católicas da Região Metropolitana de Campinas (RMC) pertencentes à Arquidiocese de Campinas. Missas e procissões na Solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Jesus Cristo ganharam um toque artístico com tapetes de serragem, pó de café e areia colorida. Confeccionados por fiéis durante a madrugada e parte da manhã de hoje, os tradicionais tapetes embelezam parte das vias por onde seguiram os cortejos. Na maior parte das cidade da região as missas ocorrem às 9h, seguidas de procissões. Em Campinas, a celebração Eucarística será presidida pelo Arcebispo Metropolitano, Dom Airton José dos Santos, às 16h, na Estação Cultura. Após a missa, os fiéis deixaram o local em procissão atéa Praça da Catedral ornamentada para receber o Santíssimo Sacramento.

Outras cidades com missas à tarde são Elias Fausto na Matriz São José, e Paulínia, com celebração também às 16h na Matriz Nossa Senhora do Belo Ramo. Em Indaiatuba e Sumaré haverá uma missa em cada paróquia. Em Monte Mor e Hortolândia as paróquias ornamentaram ruas e praças.

Um dos mais maiores tapetes da RMC, dentre as paróquias arquidiocesanas, foi feito em Vinhedo durante a noite de quarta e madrugada de quinta. Mais de 100 voluntários de três paróquias - Sant’Anna, São Sebastião e Nossa Senhora de Lurdes - se reuniram na Avenida Humberto Pescarini, em frente à Igreja Matriz Sant’Ana, para ornamentar mais de 200 metros de pavimento com a simbologia da Eucaristia retratada com serragem e areia coloridas. Em Valinhos a praça da Matriz São Sebastião e o Centro de Artes, Cultura e Comércio (Cacc) também receberam ornamentações. Na escadaria da igreja, cobertores, edredons e agasalhos enfeitaram os degraus antes da chegada da procissão. Sousas, Distrito de Campinas, mudou o endereço da celebração para o Jardim Conceição, na Rua Ferrucio Beltrameli, Comunidade Santo Antônio. A transferência da festa, que antes acontecia na Paróquia Santana, se deu em razão do crescimento do evento e da necessidade de um espaço maior.

Em Vinhedo, uma megamissa reuniu mais de três mil pessoas no Centro de Convivência, perto da Assistência Social de Vinhedo. Os fiéis lotaram o espaço e promoveram o maior evento no local,desde sua a reforma ocorrida há três anos. De acordo com Alexsandro Gomes, da pastoral da liturgia da Paróquia Sant’Ana, o evento de hoje resgata a tradição de unir as paróquias em uma grande. No altar, mais de 60 pessoas compunham o corpo da celebração, formado por quatro padres, músicos, irmãs religiosas, seminaristas e auxiliares de altar (acólitos). O voluntário Rosinel Alexandre Campos, 38 anos, acordou às 5h para ajudar na arrumação das cadeiras, e voltou mais tarde para a missa das 9h com seus dois filhos. "Faz parte da festa da igreja. Poderia ser assim sempre, com mais pessoas se importando com Deus. As igrejas andam tão vazias”, lamenta. Mais de 2,8 mil folhetos e 2,5 mil hóstias foram distribuídas. Morador da Nova Vinhedo, José Eurídes Semaroli ajudou na celebração e ficou feliz com a participação popular. “Voltamos a reunir as paróquias”, comemora. Uma faixa no altar reforçava a ideia de união “Corpus Christi festa da unidade. Na Eucaristia, somos um”.

Por volta das 11h a procissão deixou o Centro de Convivência e seguiu pela Rua Manoel Martins e Avenida Humberto Pescarini até a Igreja Matriz Santa’Ana. Agentes da mobilidade urbana acompanharam por todo o percurso. O cortejo foi recebido com parte da pavimentação ricamente ornamentada. Também foi realizada uma chuva de pétalas de rosas. Segundo a organização, foram usados 100 sacos de estopa cheios de pó de serra, além de areia e cal, e uma betoneira para misturar os corantes aos materiais. O colorido vivo e o esmero dos desenhos retratados - cachos de uva, pomba, cálice e trigo - chamaram a atenção dos participantes. A rua da matriz permaneceu interditada até as 17h para que a população pudesse contemplar a delicada decoração feita pelos voluntários, como uma demonstração de fé e dedicação.

Saiba Mais

A Celebração de Corpus Christi recorda a Instituição da Eucaristia, na Quinta-feira Santa, quando Jesus, sabendo que iriam matá-lo, quis comer a Páscoa com seus apóstolos. É um convite à manifestação da fé e devoção em Jesus Ressuscitado na Eucaristia. A celebração não foi uma iniciativa da hierarquia da igreja. Em 1208, na Diocese de Liègé (atualmente a Bélgica), a monja Agostiniana, Juliana de Mont Cornillon, observando a lua cheia, viu uma mancha escura e recebeu a revelação de Cristo de que aquela mancha era a ausência no calendário de uma festa especial em honra da eucaristia. Trabalhou para estabelecer a festa. Em 1240, o Bispo de Liègé, promulgou um decreto estabelecendo o Corpus Christi em sua diocese no segundo domingo depois de Pentecostes. Após 1251 a festa passou a ser celebrada na quinta-feira depois da oitava de Pentecostes. Em 1264, o Papa Urbano IV estendeu a celebração a toda a Igreja.

Escrito por:

Sheila Roseli Vieira Leite