Publicado 02 de Junho de 2015 - 12h33

Por Paulo César Dutra Santana

Paulo Santana

Da Agência Anhanguera

[email protected]

Com bom retrospecto como visitante e ocupando vaga no G4, a Ponte Preta encara mais um desafio longe de casa pelo Campeonato Brasileiro. O adversário de hoje, às 19h30, no Estádio de São Januário, é o Vasco, atual campeão carioca, mas que vem patinando na competição nacional. Invicta, a Macaca traçou meta de somar pelo menos um ponto no Rio de Janeiro.

E se depender de retrospecto, a Macaca pode se dar bem. Não que costume aprontar para cima do time cruzmaltino. Pelo contrário, venceu apenas quatro vezes. O bom é que 50% dos confrontos terminaram empatados. O Vasco venceu sete vezes já que os clubes se enfrentaram 22 vezes ao longo da história do Brasileirão (Série A).

Para o técnico Guto Ferreira, todo cuidado é pouco. “Independentemente do momento, é o Vasco que estará em campo. É um time bom, que tem um conjunto muito forte e boa organização tática. Temos que tomar todos os cuidados possíveis e imagináveis”, destaca o técnico Guto Ferreira.

Com pensamento bem afinado, os jogadores concordam. “Temos um confronto difícil, mas nossa equipe achou um padrão de jogo. Temos duas partidas fora de casa (sábado tem o Santos na Vila Belmiro) e precisamos somar o máximo de pontos. Acredito que quatro pontos já estaria bom e vamos pra vencer”, disse o volante Josimar.

O zagueiro Pablo, que tem sido um dos mais regulares da equipe, ressalta a necessidade de o time jogar focado. “Qualquer que seja a situação do adversário, acredito que serão jogos complicados. Até porque não tem jogo fácil no Brasileiro. A gente tem que entrar focado e determinado”, alerta.

A principal mudança para esta partida é a saída de Rildo, que xingou o auxiliar técnico Alexandre Faganello ao ser substituído no final da partida com a Chapecoense, e acabou punido com multa. Ao ser questionado a respeito do fato, Guto Ferreora não economizou nas críticas ao atacante, que estaria nos planos do Grêmio.

“O grupo sabe que existe um comando aqui e o fato já foi resolvido. Ele (Rildo) está pagando o preço por sua atitude. É vida que segue e não vamos admitir mais. Ou se engaja, ou está fora. Não podemos perder o todo por causa de uma peça”, comentou e ainda acrescentou: “Ele é importante? É. É insubstituível? Não.”

Com a mudança, a Macaca volta a ter o ataque formado pelo trio Biro Biro, Diego Oliveira e Felipe Azevedo. No mais, o time será o mesmo da última rodada com zaga formada pelo goleiro Marcelo Lomba, os laterais Rodinei e Gilson e os zagueiros Tiago Alves e Pablo. O meio continua com os volantes Josimar e Fernando Bob e o meia Renato Cajá.

Escrito por:

Paulo César Dutra Santana