Publicado 30 de Junho de 2015 - 9h58

Por Agência Estado

O técnico colombiano Juan Carlos Osorio orienta o goleiro Rogério Ceni e o zagueiro Dória durante treino do São Paulo no CT da Barra Funda

Érico Leonan/saopaulofc.net

O técnico colombiano Juan Carlos Osorio orienta o goleiro Rogério Ceni e o zagueiro Dória durante treino do São Paulo no CT da Barra Funda

Os 4 a 0 sofridos no clássico contra o Palmeiras, pelo Campeonato Brasileiro, colocam pressão pela primeira vez sobre o trabalho do técnico Juan Carlos Osorio no comando do São Paulo. O colombiano teve a sua primeira derrota e agora cobra da equipe uma reação rápida para vencer já pela próxima rodada, quando será necessário buscar o feito inédito de ganhar do Atlético-PR em sua arena.

O estádio foi reinaugurado em 1999, ano em que o time do Morumbi perdeu por 4 a 1 no local e começou a sua sina. Ao todo foram 14 partidas, com dez derrotas e quatro empates por competições como Brasileirão e Copa Sul-Americana. "Sabemos que vai ser difícil, até porque joguei lá e sei que jogar com a torcida lá é complicado, mas temos total confiança e qualidade para fazer o resultado", disse o meia Michel Bastos.

Curiosamente, o São Paulo não jogou no estádio o confronto mais importante da história dos dois times. Em 2005, a equipe paranaense não pôde mandar o primeiro jogo da decisão da Copa Libertadores em Curitiba por falta de capacidade no estádio. A partida foi transferida para o Beira-Rio, em Porto Alegre.

O episódio acirrou a rivalidade entre as equipes. "Depois de uma derrota como essa, as pessoas devem achar que a confiança está lá embaixo. Mas nada melhor que jogo como esse para fazer o resultado e tudo voltar ao normal. Estamos indo lá da mesma forma que fomos contra o Palmeiras, para tentar ganhar o jogo", disse Michel Bastos.

A última partida do São Paulo na Arena da Baixada foi em 2011, quando perdeu por 1 a 0, com gol de Guerrón. Em 2012 a equipe de Curitiba disputou a Série B e nos anos seguintes recebeu a equipe do Morumbi em outros estádios, já que a sua arena passava por obras para sediar a Copa do Mundo.

Escrito por:

Agência Estado