Publicado 02 de Junho de 2015 - 21h35

Por Agência Estado

O zagueiro Pablo pede para a equipe manter o foco nas duas próximas partidas: no sábado (6), a Ponte volta a jogar fora de casa, contra o Santos

Elcio Alves/AAN

O zagueiro Pablo pede para a equipe manter o foco nas duas próximas partidas: no sábado (6), a Ponte volta a jogar fora de casa, contra o Santos

Embalada, a terceira colocada Ponte Preta encara, nesta quarta-feira (3), mais um desafio pelo Campeonato Brasileiro. Depois de duas vitórias no Moisés Lucarelli e dois empates como visitante, a Macaca volta a jogar fora de casa, às 19h30, no Estádio de São Januário, contra o Vasco. O adversário é atual campeão carioca, mas vem patinando na competição nacional, já que abre a zona de rebaixamento. Invicta, a Ponte traçou meta de somar pelo menos um ponto no Rio de Janeiro.

E se depender de retrospecto, a Ponte pode se dar bem. Não que costume aprontar para cima do time cruzmaltino. É que 50% dos confrontos terminaram empatados.

Em 22 duelos entre ambos ao longo da história da Série A do Brasileiro, a Macaca venceu quatro e o Vasco sete.

Para o técnico Guto Ferreira, todo cuidado é pouco. "Independentemente do momento, é o Vasco que estará em campo. É um time bom, que tem um conjunto muito forte e boa organização tática. Temos que tomar todos os cuidados possíveis e imagináveis", destaca o técnico Guto Ferreira.

Os jogadores concordam com o comandante. "Temos um confronto difícil, mas nossa equipe achou um padrão de jogo", diz o volante Josimar. "Temos duas partidas fora de casa (sábado tem o Santos na Vila Belmiro) e precisamos somar o máximo de pontos. Acredito que quatro pontos já estaria bom", completa.

O zagueiro Pablo, um dos mais regulares da equipe, ressalta a necessidade de a Ponte jogar focada nas duas próximas partidas. "Serão jogos complicados. Até porque não tem jogo fácil no Brasileiro. A gente tem que entrar focado e determinado", alerta.

A principal mudança para o duelo desta quarta é a saída de Rildo, que xingou o auxiliar técnico Alexandre Faganello ao ser substituído no final da partida com a Chapecoense, e acabou punido com multa. Ao ser questionado a respeito do fato, Guto Ferreira não economizou nas críticas ao atacante, que estaria nos planos do Grêmio.

"O grupo sabe que existe um comando aqui e o fato já foi resolvido. Ele está pagando o preço por sua atitude. É vida que segue e não vamos admitir mais. Ou se engaja, ou está fora. Não podemos perder o todo por causa de uma peça", comentou e ainda acrescentou: "Ele é importante? É. É insubstituível? Não."

Com a mudança, a Ponte volta a ter o ataque formado pelo trio Biro Biro, Diego Oliveira e Felipe Azevedo. No mais, o time será o mesmo da última rodada.

SUFOCO

Guto Ferreira cumpriu a suspensão automática pela expulsão no jogo com o Cruzeiro no sofá de sua casa em Piracicaba. Acompanhado dos filhos, da esposa e do sogro, ele disse que viu o jogo com a Chapecoense como um torcedor comum. "É uma situação bastante complicada. Um sufoco só."

NA RABEIRA

Com três pontos em quatro jogos, o Vasco ocupa a 17ª posição no Brasileirão — a primeira no Z4. A equipe não vence desde o dia 3 de maio, quando conquistou o título carioca contra o Botafogo.

PROCESSO

Além da Ponte, que cobra R$ 400 mil do Santos pelo empréstimo, o atacante Rildo quer receber os R$ 300 mil que o Peixe lhe deve de salários e direito de imagem. Nesta semana, o empresário do atleta propôs um acordo para quitar o débito em 12 parcelas e o clube da Baixada disse não.

SUB-20

Com três jogadores do elenco profissional em campo, a Ponte Preta estreia, nesta quarta, às 15h, no Campeonato Brasileiro Sub-20, diante do Internacional. O jogo será realizado no Estádio Morada dos Quero-Queros, em Alvorada, cidade que fica na região metropolitana de Porto Alegre.

A Macaquinha, que é comandada pelo técnico Jorge Parraga, busca uma melhor campanha já que no ano passado perdeu todas as partidas que disputou. Aliás, o clube tem péssimo retrospecto na competição que foi criada em 2006. Em 12 jogos nas três edições que participou, sofreu 11 derrotas e ganhou apenas uma vez. Marcou seis gols e sofreu 31.

O Inter, que foi campeão em 2006 e 2013, é primeiro colocado do ranking nacional sub-20. Fez 56 jogos, com 36 vitórias, 10 empates e 10 derrotas. Para evitar um novo vexame, a Ponte escalou o goleiro Matheus, o zagueiro Rodrigo Lobão e o volante Vítor Xavier, do time principal, como titulares. Os jovens meias Nathan e Leandrinho, que também estão no elenco profissional, ficarão no banco de reservas.

Escrito por:

Agência Estado