Publicado 04 de Junho de 2015 - 5h30

Após o volume recorde de US$ 13,1 bilhões em abril, o fluxo cambial ficou negativo em R$ 2,07 bilhões em maio, informou ontem o Banco Central. Em igual mês de 2014, o saldo também estava no vermelho, mas num valor bem menor, de US$ 813 milhões. Apesar do ciclo de alta de juros promovido pelo Comitê de Política Monetária (Copom), que teoricamente ajuda as operações financeiras, o resultado desta conta ficou negativo em US$ 5,56 bilhões em maio. A entrada de dólares por esse canal financeiro foi de US$ 37,68 bilhões em maio, contra envios de US$ 43,42 bilhões. Ao longo de todo o ano passado, a área financeira foi a principal porta de saída de recursos do País, somando US$ 13,42 bilhões. Este segmento reúne os investimentos estrangeiros diretos e em carteira, remessas de lucro e pagamento de juros, entre outras operações. Já no Comércio Exterior, o saldo ficou positivo em US$ 3,48 bilhões em maio, com importações de US$ 13,56 bilhões e exportações de US$ 17,05 bilhões. A saída líquida de US$ 2,07 bilhões no mês passado é a maior desde dezembro de 2014, quando somou US$ 14,05 bilhões. Antes, apenas em fevereiro houve saída, somando US$ 1,14 bilhão. Essa saída de recursos se dá em um momento de melhora da economia internacional. (Agência Estado)