Publicado 28 de Junho de 2015 - 19h05

Apresentar um panorama do melhor da música instrumental produzida na cidade é a proposta da Mostra Jazz Campinas 2015, que reúne os principais projetos de curadoria musical que ocorrem na cena campineira, especialmente no distrito de Barão Geraldo, com uma programação que tem seu foco no gênero norte-americano que conquistou o mundo. “Atualmente, várias casas noturnas de Barão Geraldo têm desenvolvido projetos jazzísticos. Faço curadoria para dois deles, o que me deu a oportunidade de conhecer o trabalho dos grupos. Diante de tantos músicos de qualidade, surgiu a ideia de juntá-los e montar uma programação intensa, uma semana de jazz. É uma forma de divulgar os projetos e os grupos que produzem música instrumental”, explica Arthur Amaral, o DJ Digão, da Zumbido Cultural e idealizador do projeto.

A programação envolve os projetos Canja Instrumental, Terça Jazz, Jazz In, Bossa in Jazz e Zumbido Cultural. “A Mostra reúne os projetos musicais já desenvolvidos em sete dias consecutivos de apresentações jazzísticas. O objetivo é trazer à luz um retrato da fértil cena musical campineira, dos locais onde se pode ouvir boa música e quem são seus realizadores”, diz Amaral.

A Canja Instrumental foi criada por músicos campineiros e ocorre todas as segundas-feiras, numa área pública em Barão Geraldo. Tendo com o anfitrião o trio Três Pontos, composto por Dô de Carvalho (sax), João Casimiro (bateria) e Sidney Filho (baixo), o projeto, como o nome diz, abre espaço para os músicos mostrarem seus trabalhos em canjas improvisadas. O Terça Jazz é realizado no Almanaque Café, com o Pepa D’Elia Quarteto, formado por Pepa na bateria, Ricardo Matsuda no violão, Marcos Sousa no baixo e Felipe Silveira ao piano. A noite conta ainda com discotecagem do DJ Riva e suas raridades de coleção de vinil.

O Jazz In é promovido pelo Echos Studio Bar, revezando as noites de terça com blues, cada semana com um grupo diferente e que na Mostra traz Weber Marely Sexteto, formado por músicos de Campinas e região. O projeto Bossa in Jazz foi criado pela Zumbido Cultural e leva grupos de música instrumental e DJs à casa de show Brasuca. Na mostra, apresenta o Hot Jazz Club. A Zumbido também faz a curadoria de apresentações de grupos de jazz e discotecagem na Casa São Jorge, esta semana com o Solo Brasileiro Trio e Adriano Dias Trio. “Nesta semana da Mostra, alternaremos as apresentações entre todas as casas e praças; além da Canja Instrumental, teremos a apresentação de Edu Guimarães Quarteto, com um repertório de música instrumental brasileira inspirada em Dominguinhos na Praça do Coco.”

Concha Acústica

No encerramento, um show especial na Concha Acústica do Taquaral com os grupos Quinteto Amálgama, criado pelo pianista Tiago Gomes e que apresenta um espetáculo dedicado as obras do compositor e maestro pernambucano Moacir Santos; Elthon Dias Group, quinteto instrumental liberado pelo baterista Elthon Dias; e o show Balada Negra, com Ieda Cruz. Título de um poema de Vinicius de Moraes, Balada Negra é um tributo à parceria do poetinha com Baden Powell. É a única apresentação em que a voz entra como instrumento jazzístico. Ieda (voz e violão) é acompanhada por Matsuda (viola, violão e guitarra), Felipe Fidélis (baixo) e Osmario Marinho (bateria). No repertório, afro-sambas e samba-jazz.

“A grande produção musical e a consequente demanda de músicos profissionais por espaços e oportunidades para tocar jazz em Campinas nos levaram a promover eventos em casas de shows. Isso, por sua vez, inspirou a necessidade de criar a Mostra Jazz Campinas, a ser realizada anualmente na cidade. O evento tem apoio da Secretaria de Cultura de Campinas e de comércios de Barão Geraldo”, diz o produtor.