Publicado 04 de Junho de 2015 - 19h05

Mesmo sofrendo na pele e vendo os anunciantes mais importantes se preocupando cada vez mais em não atrelar seus nomes a produtos comprometedores, emissoras de TV no geral e alguns programas em particular continuam insistindo em baixar o nível. Entendem que com isso a audiência pode vir mais fácil. Foi-se o tempo. A cada dia o telespectador tem se mostrado mais exigente e diante de tantas opções hoje oferecidas pela televisão, aberta ou fechada, e mesmo fora dela, ninguém se vê mais obrigado a aguentar o que não presta. É simples assim. E pelo que se saiba, com a vida do jeito que anda, TV nenhuma está em condições de rasgar dinheiro ou viver à custa de cogumelo do sol. É preciso estar atento a esta nova realidade, porque tanto o público como os bons patrocinadores no geral, ou seja, aqueles que verdadeiramente pagam a conta, estão passando a aceitar só o que é bom, com um mínimo de qualidade. Produzir o que é bom está virando, antes de tudo, uma questão de sobrevivência.