Publicado 30 de Junho de 2015 - 5h30

O motorista que trafega pelas rodovias da região terá um gasto maior a partir de amanhã, quando entra em vigor o reajuste na tarifa dos pedágios das rodovias estaduais de São Paulo concedidas à iniciativa privada. Publicado no Diário Oficial do Estado no último sábado, o aumento da tarifa varia entre 4,11% e 8,47%, dependendo da rodovia e do trecho. O reajuste acompanha variação do Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) ou do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) no acumulado dos últimos 12 meses. O indicador utilizado é definido pelos contratos firmados em cada um dos dois lotes do Programa Estadual de Concessão de Rodovias de São Paulo.

Na região de Campinas, que tem 21 praças de pedágio em operação, o custo da “cesta de pedágio” — composta pela soma de todas as tarifas cobradas nas praças que estão instaladas na região estendida, formada por municípios localizados a um raio de 60 quilômetros de Campinas — vai subir de R$ 130,30 para R$ 137,50, alta de 5,5%.

As rodovias administradas pelas concessionárias que fizeram parte do lote de licitações mais recentes, entre elas a Rodovia D. Pedro I, terão o maior reajuste, de 8,47%, já que está atrelado ao IPCA acumulado. Já o reajuste de 4,11%, que acompanha a variação do IGP-M, será praticado nas rodovias e trechos ligados a 12 concessionárias, entre elas AutoBAn (Anhanguera-Bandeirantes), Renovias (Rodovia Adhemar de Barros) e Colinas (Rodovia Santos Dumont).

Para ir a São Paulo pela Anhanguera ou Bandeirantes, o motorista que sai de Campinas paga atualmente R$ 15,30 de tarifa de pedágio. A partir de amanhã a despesa será de R$ 15,90. Para ir de Campinas até Limeira o motorista terá que desembolsar R$ 12,40, em vez dos R$ 11,90 atuais. A tarifa mais cara da região continua sendo na praça de Indaiatuba, na Rodovia Santos Dumont, que será reajustada para R$ 11,50 por veículo. Até amanhã, o valor cobrado é de R$ 11,10.

A Agência Reguladora de Transportes do Estado de São Paulo (Artesp) justifica que o índice médio de reajuste ficou em 5,3%, abaixo da inflação no período. A Artesp ressalta, ainda, que o aumento previsto no ano passado seria de 6,37%, porém, a agência autorizou o repasse médio de 5,29%, considerando cobrança do eixo suspenso de veículos comerciais, e lembra que em 2013 não houve reajuste na tarifa. “Não fossem essas medidas adotadas pelo governo, as tarifas teriam sofrido elevação média de 22,91% entre 2013 e 2015. Com as medidas pró-usuário, o reajuste médio entre 2013 e 2015 foi de 11,09%, ou seja, bem abaixo do acumulado”, informou.

A malha rodoviária concedida às empresas totaliza 6,5 mil quilômetros no Estado de São Paulo, com 143 praças de cobrança de pedágio.

Ônibus sobem

As passagens de ônibus intermunicipal, interestadual e internacional também terão reajuste nesta semana. As linhas intermunicipais outorgadas pelo Departamento de Estrada de Rodagem (DER) e assumidas pela Agência Reguladora de Transportes de São Paulo (Artesp) serão reajustadas a partir de domingo. O índice de reajuste é de 10,5%, em média, para os serviços de característica rodoviária e de 13,4% para os serviços de característica suburbana.

Já o valor das passagens interestaduais e internacionais terão reajuste de 7,7% a partir de amanhã. O índice foi autorizado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e publicado no Diário Oficial da União da última sexta-feira. De acordo com a resolução da ANTT, “o acréscimo autorizado corresponde à correção dos insumos necessários à preservação do equilíbrio econômico-financeiro da prestação dos serviços”.