Publicado 05 de Junho de 2015 - 5h30

Quando foi sancionado em 1997, o Código Brasileiro de Trânsito tratava das multas punitivas com valores de acordo com sua gravidade, fixados em Ufirs, ou seja, um valor referencial que se reajustava constantemente acompanhando a desvalorização da moeda nacional.

A Ufir foi extinta em 2002 e isso congelou o valor das multas. O tempo passou e durante todos esses anos a inflação corroeu o valor do real e, consequentemente das multas aplicadas no trânsito. Uma multa de gravidade média que foi congelada com o valor de R$ 85,13 em 2002, hoje, se atualizada, teria o valor de R$ 178,26, portanto, tem impacto orçamentário muito menor do que naquela época. Assim sendo, está mais do que na hora de se rever os valores das multas de trânsito reajustando-as a níveis que realmente reflitam sua gravidade e censura.

O Congresso Nacional precisa se mobilizar nesse sentido antes que essa punição se torne irrelevante e passe a ser ignorada pelos usuários mais abastados.