Publicado 30 de Junho de 2015 - 5h30

A Seleção Chilena está a um passo de ser campeã da Copa América pela primeira vez na sua história. Para delírio da torcida que lotou o Estádio Nacional em Santiago, a equipe aproveitou o fato de contar com um jogador a mais desde o primeiro tempo e venceu um dos melhores jogos do torneio até o momento, ao fazer 2 a 1 sobre um valente Peru ontem. O resultado levou os anfitriões à final.

Agora, o Chile espera para conhecer seu adversário na decisão. Ele sairá do confronto de hoje entre Argentina e Paraguai, em Concepción. A grande final está marcada para sábado, em Santiago.

Já o Peru pode se orgulhar de ter chegado à semifinal pela segunda vez seguida — ficou em terceiro há quatro anos, na Argentina — e de ter feito um grande jogo ontem. Mesmo com um jogador a menos desde os 20’, após a expulsão de Zambrano, incomodou, marcou o seu gol e assustou, mas não resistiu à noite iluminada de Eduardo Vargas, que balançou a rede duas vezes e garantiu a classificação chilena.

O jogo

O começo foi movimentado e o Chile demorou somente dois minutos para criar sua primeira chance. Albornoz lançou Vargas, que levou a melhor na disputa de corpo dentro da área e bateu firme, mas foi travado. Parecia que os donos da casa mandariam na partida, mas parou por aí. Logo o Peru assumiu o controle e passou a assustar mais, como em um lance com Farfán, que acertou de cabeça, na trave direita.

A surpreendente superioridade peruana, no entanto, duraria pouco. Logo aos 19’, Zambrano acertou a sola da chuteira nas costas de Aránguiz e foi expulso. Imediatamente o jogo mudou de lado e o Chile passou a exercer pressão.

Aos 41’, o Estádio Nacional explodiu em festa. Sánchez recebeu pela esquerda e cruzou, Aránguiz deixou a bola passar e ela tocou na trave. No rebote, Vargas, em posição irregular, dominou, se complicou, mas conseguiu empurrar a bola vagarosamente para o gol.

Na volta para o segundo tempo, o Chile demorou somente dois minutos para marcar, mas o auxiliar desta vez viu impedimento inexistente de Vargas. Parecia que os donos da casa seguiriam com o domínio completo das ações, mas o Peru se mostrou ousado e foi para cima mesmo com um a menos, deixando o jogo aberto.

A valentia peruana seria recompensada aos 15’. A bola chegou em Guerrero, que deu enfiada perfeita para Advíncula. O lateral aproveitou o espaço dado por Mena, chegou à linha de fundo e cruzou. Na tentativa de impedir que Carrillo o antecipasse, Medel mergulhou e tocou contra o próprio gol.

Só que o susto chileno durou só três minutos. Quem errou na defesa desta vez foi o Peru. Guerrero perdeu na intermediária e a sobra ficou para Eduardo Vargas, que ajeitou e encheu o pé, mesmo de muito longe. O chute foi forte e o efeito enganou Gallese, que foi mal para a bola e viu ela parar na rede. No fim, o Chile soube administrar o resultado. (Da Agência Estado)

CHILE

Bravo; Isla, Medel, Rojas e Albornoz (Mena); Díaz (Pizarro), Aránguiz, Arturo Vidal e Valdivia (Felipe Gutiérrez); Eduardo Vargas e Alexis Sánchez. Técnico: Jorge Sampaoli.

3

Que o Chile chega a uma final de Copa América. As outras duas foram em 1979 e 1987