Publicado 29 de Junho de 2015 - 5h30

O que parecia impossível três décadas atrás aconteceu ontem. Um Senna serviu de escudeiro para que um Nelson Piquet conquistasse um título histórico para o automobilismo brasileiro. Sobrinho de Ayrton, Bruno segurou o suíço Sebastien Buemi nas últimas voltas da primeira temporada da Fórmula E e ajudou Nelsinho a ser o primeiro campeão da categoria de monopostos elétricos.

Nelsinho chegou à segunda das duas baterias da etapa de Londres com pouca folga sobre Buemi e Lucas di Grassi. Para piorar, largou apenas em 16. Buemi saiu em 6 e Di Grassi em 11. Se a ordem de chegada fosse a mesma, o suíço seria campeão.

O filho do tricampeão da Fórmula 1 apostou na estratégia de equipe. Largou bem, pulando para 12, e depois poupou bateria. Depois de trocar de carro (na Fórmula E é assim que funciona o 'reabastecimento), o brasileiro voltou em décimo.

Companheiro de Nelsinho na equipe TCR, Oliver Turvey abriu para o brasileiro passar. O britânico também ajudou descarregando sua bateria para fazer a volta mais rápida, tirando um ponto de Buemi. Nelsinho se tornou virtual campeão ultrapassando Salvador Duran para se tornar o 8. Ao suíço, restava tentar ultrapassar Bruno Senna e assumir o 5 lugar. Mas Senna fechou a porta para Buemi e deu o título a Piquet. (AE)