Publicado 05 de Junho de 2015 - 5h30

A derrota para o Grêmio, na quarta-feira, em Porto Alegre, expôs ainda mais as deficiências do Corinthians. Os problemas da equipe não se restringem ao ataque, que perdeu poder de fogo após as saídas de Guerrero e Emerson. A defesa também tem comprometido o rendimento. Nas últimas duas rodadas, o time sofreu cinco gols (dois contra o Palmeiras e três diante do Grêmio).

Edu Dracena ganhou a vaga de Felipe e passou a formar dupla de zaga com Gil, mas a sua entrada não ajudou. Pela experiência do ex-santista, a expectativa era que a defesa subisse de produção. Dracena, no entanto, ainda está devendo uma grande atuação.

O técnico Tite admite que o seu principal desafio neste processo de remontagem da equipe é encontrar o equilíbrio entre os setores. No meio de campo, por exemplo, o treinador trocou o volante Ralf por Cristian no último jogo na tentativa de melhorar a saída de bola da equipe, mas não ficou totalmente convencido. Apesar de Cristian ter mais qualidade no passe do que Ralf, o time perdeu força na marcação.

No ataque, Tite também busca a melhor formação. Romero, que jogou sozinho contra o Palmeiras, ganhou a companhia de Mendoza diante do Grêmio. O colombiano fez um gol, foi o melhor da equipe e está confirmado diante do Joinville, amanhã. Já Romero corre o risco de perder o seu lugar para Vagner Love, que voltou ao time em Porto Alegre depois de duas semanas afastado para recuperar a forma física. (Da Agência Estado)