Publicado 05 de Junho de 2015 - 5h30

O Palmeiras perdeu mais uma oportunidade de mostrar equilíbrio e que pode brigar por coisas grandes no Campeonato Brasileiro. Mesmo jogando bem, o time alviverde só empatou por 1 a 1 com o Internacional, ontem, no estádio Allianz Parque, em São Paulo, pela quinta rodada, e já se foram sete pontos perdidos em casa (empate com Atlético Mineiro e derrota para o Goiás).

Além da decepção pela falta de vitórias em casa, o Palmeiras mais uma vez mostrou enormes dificuldades em finalizar para o gol. Parecia que os jogadores tinham medo de marcar, tanto que o gol só saiu na bola parada e foi marcado por um zagueiro. O que só serviu para demonstrar o quanto Alecsandro, Barrios ou qualquer outro atacante especialista em marcar gols precisa chegar logo.

O Palmeiras entrou em campo exatamente da forma como o técnico Oswaldo de Oliveira trabalhou na última quarta-feira. Kelvin e Dudu tentavam abrir a defesa pelas pontas, enquanto que Zé Roberto ficava mais centralizado e Rafael Marques tinha liberdade para se movimentar na frente da área.

Com a movimentação de todos na frente, o Internacional não conseguiu acompanhar principalmente Rafael Marques, que intercalava entre os lados do campo, dentro da área e em diversos momentos recuava mais e abria espaço para Zé Roberto entrar na área, como surpresa.

O Palmeiras trabalhava a bola e fazia o mais difícil, que era criar e chegar na área. O problema era na definição de quem iria finalizar. O Internacional entrou com uma clara proposta de jogar em cima do erro palmeirense, como tantos outros adversários fizeram. Os jogadores colorados ficaram fechados na defesa e apostavam tudo no rápido Valdivia, que sozinho conseguiu levar perigo ao gol de Fernando Prass.

O time gaúcho só não conseguiu ter mais chances de abrir o placar graças a mais uma bela atuação do volante Gabriel, que, seguro, cansou de roubar bola e mostrar que seria necessária muita dedicação para passar por ele nesta quinta-feira.

Com a dificuldade em acertar o gol, o jeito foi apostar na principal jogada da equipe, a bola parada cruzada para a área. Aos 19’, Zé Roberto cobrou escanteio, Vitor Hugo desviou de cabeça e abriu o placar. Aos 30’, Vitinho cruzou, Fernando Prass tentou cortar e acabou jogando na cabeça de Rafael Moura, que empatou. Pouco depois, o goleiro se redimiu e fez grande defesa. Nos minutos finais, o Palmeiras mostrou nervosismo e não conseguiu fazer mais nada, além de decepcionar a torcida que compareceu em peso à arena. (Da Agência Estado)