Publicado 01 de Junho de 2015 - 5h30

Em uma partida sem grandes emoções, São Paulo e Inter ficaram ontem no 0 a 0, principalmente porque os dois lados não contaram com seus maestros. Sem muita criatividade, imperou a marcação e a correria. Com o resultado, o time paulista se mantém na parte de cima da tabela de classificação do Campeonato Brasileiro, enquanto os gaúchos estão em posição intermediária.

Os dois lados sentiram os desfalques, principalmente o Inter, que não pôde contar com os meias D'Alessandro e Valdivia. Outro que fez falta foi o volante Aránguiz, que vai disputar a Copa América pelo Chile. No lado tricolor, a ausência de Ganso também foi sentida. O jogador teve problemas particulares e não viajou com o grupo. Sem seu maestro, o São Paulo não conseguiu acertar o último passe em profundidade para matar o jogo.

O jogo

A falta de criatividade foi tão marcante que o primeiro chute a gol da partida ocorreu apenas aos 30’, com Lisandro López, que aproveitou o cruzamento de Geferson e mandou para fora. Para piorar, os jogadores que poderiam chamar a responsabilidade de criar, Alex no Inter e Michel Bastos no São Paulo, não apresentavam um bom futebol. Assim, Anderson e Thiago Mendes, um de cada lado, com grande movimentação, tentavam articular as jogadas de ataque.

Só no final do 1 tempo é que o São Paulo ousou mais e quase chegou ao gol. Aos 41’, Pato recebeu de Michel Bastos e chutou, mas Alisson fez grande defesa. Minutos depois, Pato cruzou e Luis Fabiano mandou no travessão em sua única chance na partida. O time visitante ainda pressionou, com Pato e Bruno, mas foi para o vestiário sem balançar as redes.

Na volta do intervalo, a expectativa era que os times se arriscassem mais, só que isso não ocorreu. A primeira chance de gol veio com Lisandro López, aos 14’, quando ele cabeceou com perigo e Rogério Ceni espalmou. Vitinho também arriscou de longe e o goleiro tricolor segurou. A partir daí, o São Paulo passou a ter mais posse de bola.

A pressão tricolor era grande. Só que, em um contra-ataque, Reinaldo fez falta em Anderson e, como já tinha amarelo, foi expulso. Na cobrança de falta, Alex quase marcou. E não demorou para o árbitro encerrar o confronto e decretar o empate.

Hoje, o técnico Juan Carlos Osorio será apresentado e passa a comandar a equipe. Provavelmente, no próximo jogo, quarta-feira, no clássico contra o Santos, o colombiano já estará no banco de reservas do São Paulo. (Da Agência Estado)

INTERNACIONAL

Alisson; William, Alan Costa, Réver (Paulão) e Geferson; Rodrigo Dourado, Anderson, Alex e Vitinho (Nilton); Taiberson (A. Farias) e Lisandro López. Técnico: Diego Aguirre.

Ceni lamenta as chances perdidas pelo time paulista

Apesar de mostrar um bom volume de jogo,

o São Paulo saiu com o empate do Beira-Rio no duelo contra o Inter. No entanto, com duas finalizações bem colocadas, os gaúchos também passaram perto de balançar as redes do time do Morumbi. E quando a bola parou de rolar no Beira-Rio, o goleiro Rogério Ceni, que fez grandes intervenções na partida, valorizou o resultado fora de casa pela quarta rodada do Brasileirão. "Tivemos um pouco de azar nas finalizações, mas o time teve velocidade na frente e criou boas chances. O Inter também chegou. Então, avalio que foi um jogo equilibrado. Na verdade, foi uma pena a partida terminar sem gols, porque São Paulo e Internacional sempre proporcionam bons jogos", avaliou o goleiro.

Sobre a situação do Inter, de entrar com várias reservas por causa das lesões após o duelo contra o Independiente Santa Fé, na Copa Libertadores, no meio de semana, Rogério afirmou que o São Paulo poderia ter saído com um resultado melhor. "infelizmente não traduzimos em gols”, disse.

Hoje, o técnico colombiano Juan Carlos inicia a sua trajetória no São Paulo, de olho no clássico contra o Santos, 4 feira. (AE)