Publicado 04 de Junho de 2015 - 16h20

Por Gustavo Abdel

Pedestres que passavam pela Rua Barão de Jaguará estranharam a postura enrijecida do morador, deitado na calçada, e quando o tocaram perceberam que estava morto

Dominique Torquato/ AAN

Pedestres que passavam pela Rua Barão de Jaguará estranharam a postura enrijecida do morador, deitado na calçada, e quando o tocaram perceberam que estava morto

Um morador em situação de rua de 63 anos morreu de causas naturais na madrugada desta quinta-feira (4), em Campinas. Ele foi encontrado sem vida em frente ao banco Bradesco, na esquina da Avenida Moraes Sales com a Rua Barão de Jaguara, por volta do meio dia.

Esse é o segundo caso em menos de uma semana em que um morador é achado morto. Na semana passada um homem de 50 anos foi encontrado debaixo da marquise de uma loja na esquina da Avenida Francisco Glicério, também na região central.

De acordo com a Polícia Militar (PM), o homem foi identificado como Luis Carlos Pedro Dias e tinha 63 anos.

Pedestres que passavam pela Rua Barão de Jaguará estranharam a postura enrijecida do morador, deitado na calçada, e quando o tocaram perceberam que estava morto.

A polícia e o Samu foram acionados, e diante de prévia perícia constataram o óbito por causas naturais. O frio de 14,5 Cº que fez durante a madrugada desta quinta pode ter provocado hipotermia no morador de rua e o levado à morte.

Um dos colegas de Luis Carlos, Silvano Ferreira da Silva, também morador de rua, disse que na noite de quarta-feira (3) ele se alimentou bem e ao invés de deitar com o companheiro, foi para o outro lado da rua e não voltou mais.

“Estava muito frio”, disse Silva. “Trabalhamos em um ferro-velho no Taquaral, e era muito gente fina. Estava nessa condição fazia pouco tempo”, contou.

Escrito por:

Gustavo Abdel