Publicado 03 de Junho de 2015 - 5h00

Por Delma Medeiros

Cena do espetáculo de rua 'O Ponto Alto da Festa', do Barracão Teatro

Divulgação

Cena do espetáculo de rua 'O Ponto Alto da Festa', do Barracão Teatro

Em sua quarta edição, a Mostra Nacional de Teatro Na Lona 2015 selecionou 21 espetáculos para a maratona artística que ocorre de 12 a 22 de agosto, em Hortolândia. No total, 240 grupos de todas as regiões do País, além de Argentina e Portugal, se inscreveram para o festival, que já se tornou uma referência nacional. Desses, 140 foram habilitados e 119 ficam como suplentes e podem ser chamados a se apresentar caso algum dos premiados não concilie a agenda com a programação da mostra.

Campinas teve 21 grupos inscritos, sendo quatro premiados e 14 habilitados como suplentes. “Os espetáculos de teatro adulto e dois infantis serão apresentados no nosso espaço. Já os espetáculos de rua terão programação em Hortolândia e Campinas e os infantis para espaços alternativos se apresentarão em escolas municipais e praças”, informa Airton Alves da Silva, da Cia. São Genésio e Espaço Cultural Casa de Joana, organizações não governamentais que coordenam o festival em parceria com a Prefeitura de Hortolândia, responsável pelo pagamento dos prêmios.

Os 21 grupos selecionados receberão prêmio no valor de R$ 3.550,00 cada. Entre os premiados e suplentes estão grupos de Campinas e região, São Paulo, Rio de Janeiro, Ribeirão Preto, São José dos Campos e Córdoba (Argentina), entre outros. Foram selecionados sete montagens de teatro adulto, sete espetáculos de rua, e sete infantis, sendo cinco para espaços alternativos e dois para palco italiano. De Campinas, para teatro adulto, foram selecionados 'Eldorado', da companhia Sim! Cultura, e 'O Casamento do Pequeno Burguês', da Cia Histriônica. 'O Ponto Alto da Festa', do Barracão Teatro, é o representante campineiro na categoria espetáculo de rua e 'Cada Um é Um', do grupo No Mundo da Lua, foi selecionado na modalidade teatro infantil em espaços alternativos.

“Idealizamos o festival com o objetivo de fomentar a cultura em Hortolândia. No primeiro ano, chamamos grupos amigos, mas depois a prefeitura passou a apoiar o projeto, o que permitiu sua expansão”, afirma Silva, lembrando que, durante o festival, o público também poderá participar de workshops e oficinas culturais. A programação ainda está sendo fechada e as inscrições para as oficinas devem ser abertas na segunda quinzena de junho.

“Essa mostra é uma iniciativa bárbara. Foi criada por grupos independentes, mas depois encampada pelo poder público, o que possibilitou o crescimento do projeto. Além de apresentar espetáculos de todo o País, a mostra colabora para a formação de plateia e funciona como ponto de encontro entre os grupos, que se conhecem e desenvolvem ações conjuntas. E pela procura se percebe a demanda do país na produção teatral. Eventos como este são uma forma de escoar essa produção”, comenta Tiche Vianna, diretora do Barracão Teatro, que participa pela terceira vez do festival. “Já apresentamos 'O Circo e o Pintor' nas edições anteriores e agora levamos 'O Ponto Alto da Festa'”, conta Tiche.

“Esse tipo de evento estimula a produção cultural. Ser realizado numa cidade relativamente pequena como Hortolândia é estimulante. É interessante porque o festival tem uma curadoria independente que analisa todos os trabalhos. Ser selecionado é um reconhecimento. Estou muito feliz por essa possibilidade”, afirma Valdo Matos, da companhia No Mundo da Lua, premiado com 'Cada Um é Um', na categoria espetáculo infantil para espaços alternativos. Matos cita que seu espetáculo tem o diferencial de ser 100% inclusivo. “Se na plateia tiver pessoas com deficiência usamos os recursos de Libras (Língua Brasileira de Sinais), audiodescrição, o cenário tem cheiros, texturas e temos música ao vivo, para dar mais vibração”.

Segundo Silva, apesar da programação não estar fechada, em Campinas haverá apresentações de espetáculos de rua no Terminal Intermunicipal, Rua 13 de Maio (Centro) e área externa do Centro de Convivência Cultural (Praça Imprensa Fluminense, s/nº, Cambuí). A Casa de Joana funciona atualmente no Parque Ortolândia, mas no festival já estará em novo endereço, no mall do Supermercado Pague Menos, na Rua Benedito Leite, 358, Jardim Santa Isabel. Uma gigantesca obra do artista britânico Bansky foi vendida por 625.400 euros na segunda-feira em um leilão da Digard Auction.

Escrito por:

Delma Medeiros