Publicado 01 de Julho de 2015 - 5h00

Por Delma Medeiros

Cena do longa 'Café, Um Dedo de Prosa', inspirada na tela Abaporu, de Tarsila do Amaral

Divulgação

Cena do longa 'Café, Um Dedo de Prosa', inspirada na tela Abaporu, de Tarsila do Amaral

A equipe do Núcleo de Cinema de Animação de Campinas participa de mais um evento internacional, o Kugoma, Fórum de Cinema de Curta-Metragem de Moçambique. Durante o festival, no dia 6 de julho, será exibido o longa-metragem de animação 'Café, um Dedo de Prosa', de Maurício Squarisi. O grupo, composto ainda por Wilson Lazaretti e Filipe Miranda, também dará oficinas de animação na Escola Nacional de Artes Visuais (ENAV), na capital Maputo. Os brasileiros vão comandar oficinas de desenho animado, sombra chinesa e brinquedos ópticos. 

“O Kugoma está em sua sexta edição, o que significa que já é um evento consolidado. Essas participações são importantes porque fazem o filme circular. E isso é o que queremos, que nossos filmes sejam vistos”, afirma Squarisi, que participa do evento pela primeira vez. Ele lembra que o longa foi exibido em março no Monstra - Festival de Cinema de Animação de Lisboa, em Portugal, um dos mais importantes do gênero. “Como o nome diz, 'Café, um Dedo de Prosa' trata da história da bebida, que surgiu na África e foi trazida ao Brasil pelos portugueses. Assim, a história do filme passa pela África, Portugal e Brasil. O filme foi exibido em Portugal e teve uma recepção muito boa. Foi interessante ver como nossa história era conhecida pelos portugueses. Agora vamos ver a reação entre os africanos. A expectativa é grande”, aponta.

Segundo Squarisi, o festival tem a proposta de aproximar o cinema das populações, tornando acessíveis trabalhos cinematográficos que não estão disponíveis nas salas comerciais e nem no mercado de DVD nacional. A ideia é recriar o hábito de cinema no bairro, mesclando formatos de exibição tradicionais com salas de projeção ao ar livre, contribuindo para a formação de um novo público.

Lazaretti esteve no festival em Moçambique no ano passado, exibindo seu longa 'História Antes de uma História' e guarda boas recordações do país africano e das pessoas. “Embora a violência e pobreza sejam realmente visíveis, como é aqui no Brasil também, minha primeira experiência com oficinas por lá foi muito gratificante. Nossas histórias têm raízes comuns e estar lá pessoalmente foi emocionante para mim”, relembra.

'Café, um Dedo de Prosa' conta de modo leve e bem-humorado a trajetória do café e sua importância na história do Brasil. O filme, de 72 minutos, é resultado de cinco anos de trabalho e teve sua pré-estreia internacional em março, no Monstra, em Lisboa. No Brasil, fez uma pré-estreia na cidade de Itu (SP) e foi exibido em algumas sessões especiais. Com contrato com a Polifilmes, deve ter lançamento comercial no segundo semestre deste ano.

 

Escrito por:

Delma Medeiros