Publicado 29 de Junho de 2015 - 9h37

Por Agência Estado

As eleições presidenciais terminaram no último domingo (26) com a vitória da presidente e candidata à reeleição pelo PT, Dilma Rousseff

Divulgação/ PSDB

As eleições presidenciais terminaram no último domingo (26) com a vitória da presidente e candidata à reeleição pelo PT, Dilma Rousseff

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) afirma que ainda é preciso cautela ao se falar num eventual pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Mas diz, porém, que com a delação premiada do dono da UTC, Ricardo Pessoa, e a possível rejeição das contas do governo pelo Tribunal de Contas da União (TCU), esse desfecho se torna cada vez mais próximo.

Aécio voltou a defender o ex-candidato a vice em sua chapa, Aloysio Nunes (PSDB-SP), também citado por Pessoa. "Não se pode misturar um apoio legítimo, que um candidato recebeu, declarado na Justiça Eleitoral, com o assalto comandado pelo PT que foi feito na Petrobras", afirmou.

O tucano também criticou as recentes declarações de Luiz Inácio Lula da Silva, nas quais o ex-presidente

Fez críticas a Dilma e ao PT. "Lula tenta agora se descolar do governo, como se pudesse haver uma criatura sem um criador. O nosso papel agora será mostrar que não haveria Dilma sem Lula e não haveria esse governo se não houvesse Lula e não houvesse Dilma. Eles são uma coisa só", afirmou. 

Escrito por:

Agência Estado