Publicado 04 de Junho de 2015 - 10h55

Por Agência Estado

Chuva de fevereiro fez o Cantareira voltar a operar com a primeira cota do volume morto

Cedoc/RAC

Chuva de fevereiro fez o Cantareira voltar a operar com a primeira cota do volume morto

Apenas o Sistema Cantareira registrou aumento no nível de água, de acordo com o relatório diário da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) divulgado nesta quinta-feira, dia 4. O reservatório, que abastece 5,4 milhões de habitantes da Grande São Paulo e parte do interior subiu 0,1 ponto porcentual, passando de 20% para 20,1%. No dia anterior, o manancial em crise também tinha registrado o mesmo aumento. De acordo com a Sabesp, a chuva deste mês no Cantareira já atingiu 16,7% de todo esperado para o restante de junho.

Já a Represa Guarapiranga, na zona sul de São Paulo, que ultrapassou o Cantareira na quantidade de habitantes atendidos, teve nova queda. É 18º dia seguido que o manancial perde água e hoje está com 79,5% da capacidade total. Apesar de dar um reforço para o Cantareira, o volume de água acumulada na Guarapiranga é bem menor do que o manancial em crise. A represa pode armazenar um total de 171,2 bilhões de litros de água - o total de água hoje no Cantareira é de 197,4 bilhões.

Escrito por:

Agência Estado