Publicado 03 de Junho de 2015 - 11h12

Por Agência Estado

Represa Jaguari-Jacareí do Sistema Cantareira, que começou a elevar seu volume neste mês, mas continua com níveis baixos para o período

Luis Moura/ AE

Represa Jaguari-Jacareí do Sistema Cantareira, que começou a elevar seu volume neste mês, mas continua com níveis baixos para o período

O Sistema Cantareira, que abastece 5,4 milhões de pessoas na Capital e na Grande São Paulo, além da região de Campinas, subiu pelo quarto dia consecutivo. O manancial opera nesta quarta-feira (3), com 20% de sua capacidade - 0,1 ponto porcentual a mais do que na terça-feira. Os dados são do boletim diário da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp).

Esse índice considera duas cotas do volume morto. Pela medição que não considera as reservas técnicas, divulgada pela Sabesp por ordem judicial, o Cantareira está com - 9,3% de sua capacidade.  No período, choveu 0,1 milímetro no manancial. Nesta semana o Cantareira já acumulou 9,9 milímetros de pluviometria. A média histórica para o mês é de 58,5 mm.

Déficit

Após três meses consecutivos no azul, o Sistema Cantareira voltou a registrar déficit no seu estoque de água em maio. Boletim divulgado pela Agência Nacional de Águas (ANA) mostra que a diferença entre o volume que entrou e o que saiu do manancial no segundo mês seco do ano ficou negativa em 2 mil litros por segundo, o equivalente ao consumo de 800 mil pessoas - uma cidade do porte de São Bernardo do Campo - na atual situação de racionamento na Grande São Paulo.

Praticamente todos os outros reservatórios registraram queda, com exceção do Alto Cotia, que permaneceu em 67,3% de volume de água represada. O sistema Rio Grande perdeu 0,3 ponto porcentual e está com 93,3%. Rio Claro perdeu 0,2 e opera com 56,4%. Já os sistemas Alto Tietê e Guarapiranga perderam 0,1 ponto e estão, respectivamente, com 22,% e 79,8% de seus volumes de água.

Escrito por:

Agência Estado