Publicado 04 de Junho de 2015 - 10h59

Por France Press

A operação faz parte da segunda fase da operação contra o chefe de uma máfia local, Massimo Carminati (foto)

Cedoc/RAC

A operação faz parte da segunda fase da operação contra o chefe de uma máfia local, Massimo Carminati (foto)

A polícia italiana prendeu nesta quinta-feira (4) 44 pessoas acusadas de comercializar com uma poderosa máfia que controla serviços públicos, do lixo à manutenção dos parques em Roma, em uma operação que incluiu políticos de vários setores. A investigação, realizada pela divisão da polícia encarregada de lutar contra a máfia, prendeu políticos de esquerda e direita, incluindo o conselheiro regional do partido de Silvio Berlusconi, Forza Italia.

Os detidos são acusados de ser o vínculo entre empresários corruptos e organizações criminosas. Esta operação forma parte da segunda fase da operação contra o chefe de uma máfia local, Massimo Carminati, que terminou com 36 detenções, incluindo o prefeito de Roma.

A máfia está presente em todos os serviços públicos da capital italiana, desde a reciclagem e a eliminação de lixo à manutenção dos parques e o tratamento das águas. A polícia acredita que além de administrar os contratos, a máfia também conspirou para ter acesso a fundos dos centros que abrigam os demandantes de asilo e os imigrantes recém-chegados.

Escrito por:

France Press