Publicado 08 de Maio de 2015 - 21h02

Luciana Félix

DA AGÊNCIA ANHANGUERA

[email protected]

Fotos: Dominique e Leandro

O almoço de domingo, quando se reúne a família em volta de uma mesa com refeições variadas e mais caprichadas e, que despacha, para bem longe, qualquer tipo de dieta, já é tradicional em muitos lares campineiros. Mas hoje, além de ser domingo, ainda é o Dia das Mães. Hoje o almoço, em grande parte das famílias, é o momento mais importante da comemoração. E, para homenagear a matriarca da família, uma parte de maridos, filhos e netos tira as mães da cozinha nesse segundo domingo de maio e assume a função de preparar a refeição na data comemorativa.

Em alguns casos, se os dotes culinários não são exatamente o forte desse pessoal, a alternativa é levar a família toda para comer fora ou encomedar delciosos pratos para serem devorados. Os restaurante ficam lotados e, mais importante, a mãe fica com mais tempo livre para se arrumar e celebrar, além de descansar, em sua data.

A família da empresária Stela Maris Ranucci, de 44 anos, encomenda massa em um restaurante da Vila Indústrial já há três anos. Além dela, da mãe de 70 anos, da filha de 22, costumam almoçar junto na data um tio, sobrinha, primo entre outros parentes que sempre aparecem de última hora. “É uma data de celebração. Onde mostramos todo nosso amor a figura materna. Eu dou pra minha mãe e recebo de minha filha. O mínimo é que não chegamos nem perto do fogão nesse dia”, analisou.

Antes a família se reunia em um restaurante, mas após a morte do pai de Stela, próximo a data, sua mãe pediu para que a celebração passasse a ser em casa. “Ela ficou muito abalada, mas já se foram alguns anos e gostamos de fazer em casa esse encontro. É gostoso demais e alegre. Restaurantes têm muitas filas e as vezes tem que esperar a vez”, reclamou.

Como não terá que enfretar o fogão na data, a empresária aproveitou para passar um dia no salão de beleza na última sexta-feira. “Estou me arrumando para a data. Faço a unha e cabelo tudo para ficar lindona no Dia das Mães. É um mimo que podemos nos dar nesse período”, afirmou.

Outra forma de celebrar essa data é fazer igual a família do engenheiro Matheus Rios. Nela os homens é quem cozinham na data. Ele, o pai, irmão e o cunhado tomam conta da cozinha, logo no domingo pela manhã. “Fazemos tudo, e elas (mãe, irmã, mulher e cunhada) sabem que não podem passar da linha da fronteira entre a sala e a cozinha. Não tem que dar pitaco em nada”, disse Rios.

O almoço preparado pelos rapazes acontece já alguns anos. “Teve ano que não conseguimos reunir todo mundo, então acabamos em um restaurante. Mas este ano está tudo certo e já temos até cardápio. Claro que elas não sabem o que vai ser, será surpresa. Espero que gostem porque vamos cozinhar com todo amor e carinho”. Matheus afirmou que ele e o pai são os que mais entende da arte culinária entre os homens da famílias. “Os outros ficam na função de picador, ‘mexedor’ e olheiro para que ninguém espie o que está acontecendo na cozinha”. Mesmo não sendo os “chefs” nunca estragaram nenhum alimento. “Uma vez quase queimamos um assado, mas tudo foi socorrido à tempo”.

Apesar de curiosas as mulheres da família aprovam a invasão masculina na cozinha. “Eles cozinham muito bem, podiam fazer isso mais vezes ao longo do ano. E não só nessa data. Mas está valendo”, afirmou a esposa do engenheiro, Michele Martins.

Na família da empresária Fabíola Demuci Santos, de 31 anos, qualquer data comemorativa ou feriado é motivo para um bom churrasco. E no Dia das Mães, o churrasco também não poderia deixar de ser feito. Além de ser algo assumidamente produzido pelos homens da família, foi a forma que encontrou de juntar sua família com a do marido. “Todo ano tínhamos que correr de uma casa pra outra pra passar com nossas mães. Além de ser meu dia (Fabíola tem uma filha com 2 anos). Era muito cansativo, e algo sempre saia errado. Neste ano pensei em fazer um almoção aqui em casa com os dois lados, mas almoço é sinônimo de cozinha, então pensei: todo mundo gosta de churrasco e melhor ainda, os homens adoram pilotar a churrasqueira. Taí, vamos fazer um churrascão”, afirmou. A família é grande, cerca de 40 pessoas almoçarão neste domingo. “É uma data muito especial que as mães querem passar ao lado dos filhos, das mães, avós, tias, de todos, sem pensar se a comida ficou boa, se agrada a todos. E pior, ter que lavar a louça no final. No churrasco é tudo descartável. Não tem melhor saída”, afirmou. A empresária que mora em apartamento já reservou a churrasqueira do condominio onde mora para não correr risco.