Publicado 07 de Maio de 2015 - 18h33

Por Adagoberto F. Baptista

Fotos e Vídeo: Janaína

Gustavo Abdel

DA AGÊNCIA ANHAGUERA

[email protected]

Já virou tradição. Tudo o que a aposentada Maria José da Silva Matias, de 56 anos, planta em um determinado local de sua chácara, em Piedade (SP), é “batata” que crescerá o dobro, ou o triplo do tamanho normal. Aliás, batata não, dessa vez foi uma mandioca com mais de 20 quilos retirada da terra com a ajuda de quatro pessoas, e hoje exposta em sua casa, no bairro Itajaí, em Campinas, como um troféu. Mas não se engane, pois batata-doce já cresceu, sim, por lá também, e a mais pesada tinha 8 quilos e também virou atração na região do Campo Grande.

Em comprimento a mandioca não é das maiores, mas a largura de cada um dos três tubérculos grudados equivalente a três braços da aposentada, e pesam aproximadamente 8 quilos cada. Para carregar a raiz, claro, é o marido Oziel Matias, de 51 anos, quem faz força. “É pesado, hein!”, atesta o funcionário público.

Animada com a descoberta, Maria José conta que colheu a mandioca por que no local está preparando a terra para a plantação de hortaliças. “Foi a poucos metros da mandioca que colhemos em 2011 uma batata-doce, que pesava 8 quilos. A terra naquele espaço é bem irrigada e fofa”, conta. Sua chácara tem 6,8 mil metros quadrados de muita plantação, mas em um trecho em específico já foram retiradas batatas-doce de 4,7 e de 8,1 quilos.

“Faço questão em divulgar. E quem sabe entrar para o Guinness Book (livro dos recordes)”, brinca. Bom, para o Guinnes a mandioca de Maria José não será páreo para a do agricultor Milton de Oliveira, de 75 anos, que há exato um ano colheu com a ajuda de seis homens um tubérculo de 124 quilos, em seu sítio na cidade Araçoiaba da Serra, há 40 km da chácara da aposentada, na região de Sorocaba. Segundo especialistas, a condição do solo, bem preparado e geralmente sem agrotóxicos, é o fator ideal para o crescimento para além das medições tradicionais.

Mas para a família que há mais de 20 anos vive na região do Itajaí o que vale é o bom humor e a brincadeira que rola entre os familiares de Maria José, que possui 11 irmãos e que conhecerão a novidade colhida em Piedade hoje, através dessa reportagem.

Escrito por:

Adagoberto F. Baptista