Publicado 07 de Maio de 2015 - 15h55

Por Alenita de Jesus

Alenita Ramirez

[email protected]

Foto: Alenita Ramirez

Um acidente envolvendo uma van escolar e um caminhão carregado com produtos perecíveis deixou um menino de 9 anos e a mãe dele, uma operadora de caixa de 41 anos, feridos ontem de manhã, no Jardim Amanda 1, em Hortolândia. As vítimas estavam na calçada e foram atropeladas e prensadas pela van, contra a grade de um comércio. A criança está em estado grave e foi transferida para o Hospital Estadual de Sumaré. A mãe segue internada no Hospital Mário Covas. Na van haviam sete crianças com idades de três a oito anos e ninguém se feriu. O motorista do caminhão chegou a ser perseguido por moradores que o queriam agredir.

O acidente foi por volta das 7h no cruzamento das ruas Imperatriz Teresa Cristina e Bernardo Guimarães. A van subia pela Rua Bernardo Guimarães e o caminhão seguia pela Rua Imperatriz Teresa Cristina. Segundo testemunhas, pouco antes da tragédia, o motorista da van tinha parado perto da esquina para pegar uma criança.

Mãe e filho tinham saído de uma padaria e seguia para a escola, onde o menino estuda. As vítimas moram na quadra de cima de onde ocorreu o acidente. “O garoto adora pão de queijo e todos os dias antes de ir para a escola ele tem que comprar”, contou uma conhecida das vítimas.

No trecho das vias onde ocorreu o acidente não tem sinalização. O caminhão estava pelo lado direito do motorista da van e passou direto pelo cruzamento. A frente atingiu a traseira da van escola, que rodopiou e foi lançada para a calçada, onde estava mãe e filho. As vítimas ficaram prensadas contra a grade de um salão de beleza e foram socorridas pelo Corpo de Bombeiros e Samu e depois levadas para o Hospital Mário Covas. O menino sofreu fraturas expostas. “Esta á segunda vez que ocorre acidente por aqui, envolvendo van escolar. No mês passado, foi na esquina de baixo. Ainda bem que ninguém ficou ferido”, disse o comerciante Aparecido Jorge da Silva, 40 anos. “Como não há sinalização, a preferencial é de todo mundo. Ninguém respeita nada”, acrescentou Silva.

O motorista do caminhão não parou, mas foi cercado por moradores um quarteirão depois. Ele correu para o interior de uma casa até a chegada da Polícia Militar (PM). O pessoal queria linchar o motorista.

A assessoria de imprensa da Prefeitura informou que a van é regulamentada para o transporte escolar e em relação a sinalização será reforçada no local.

Escrito por:

Alenita de Jesus