Publicado 05 de Maio de 2015 - 18h28

Por Paulo César Dutra Santana

Paulo Santana

Da Agência Anhanguera

[email protected]

Enquanto os titulares ficaram em Campinas para fazer os ajustes finais na equipe antes da estreia no Brasileirão, diante do Grêmio, domingo, às 11h, em Porto Alegre, os reservas da Ponte Preta seguiram para São Luís, no Maranhão, ontem à noite, levando esperança na bagagem. É que para muitos, ser titular na partida de amanhã, às 19h30, contra o Moto Club, pela segunda fase da Copa do Brasil, pode garantir o passaporte para novas oportunidades.

Caso contrário, o futuro de cada um no Majestoso ficará bastante comprometido. “A chance apareceu e, quem segurar, certamente estará abrindo novos caminhos. Quem não aproveitar, precisará esperar uma nova oportunidade e pode ser que demore. A vida é assim. Você tem que agarrar a chance quando ela aparece”, avisa o técnico Guto Ferreira, que ficará em Campinas acompanhando tudo pelo canal Sportv.

O auxiliar-técnico Alexandre Faganello irá comandar o time pela quarta vez. Nas outras três, conseguiu duas vitórias (contra o Bragantino e Itabaiana-SE) e um empate diante do Vasco. Por isso, segue invicto como interino. “Estaremos trabalhando juntos e vou estar em contato direto. Certamente haverá um telefonema no intervalo. Por isso, se fizer as coisas direito, tudo bem. Se não, na volta a gente vai ter uma conversa”, disse Guto, em tom de brincadeira.

A última atuação de Faganello foi em novembro do ano passado, na vitória de 2 a 0 sobre o Bragantino, que garantiu o acesso antecipado para a Série A. Na partida de amanhã, ele terá sob sua responsabilidade um time mesclado de “promessas”, com jovens recém-promovidos da base e alguns experientes.

O goleiro João Carlos, o zagueiro Renato Chaves, o volante Juninho e os meias Roni e Adrianinho são os mais tarimbados da equipe. “Todo jogador quer ser titular e é importante estar em ritmo de jogo”, disse Juninho, que retornou anteontem dos Estados Unidos, onde a Macaca perdeu para o Orlando City, por 3 a 2.

Entre os atletas que buscam o reconhecimento do treinador estão, os atacantes Victor Xavier e Diego Oliveira. Já laterais Jeferson e Malcoon, o zagueiro Rodrigo Lobão e o meia Leandrinho vieram da base. “As oportunidades aparecem e temos que estar prontos para corresponder. Quero estar em campo e poder dar minha contribuição da melhor forma possível”, comentou Diego.

Se vencer por dois ou mais gols de diferença, a Ponte elimina o jogo da volta, previsto para o dia 14, em Campinas. O classificado deste confronto enfrentará o vencedor de Coritiba x Fortaleza.

Escrito por:

Paulo César Dutra Santana