Publicado 05 de Maio de 2015 - 17h54

A PUC-Campinas promove hoje e amanhã o debate“A identidade da Universidade Católica”, no campus I, no Parque das Universidades. O encontro acontece em comemoração aos 25 anos da Constituição Apostólica “Ex Corde Ecclesiae” criada pelo papa João Paulo II como doutrina a ser seguida pelas instituições de ensino católicas em todo o mundo. Representantes de universidades católicas de todo o Brasil participarão do evento marcado para as 9h. A abertura contará com a presença do Prefeito da Congregação para a Educação Católica no Vaticano, Cardeal Zenon Grocholewski. A função de Grocholewski é correspondente a um ministro da Educação no Brasil. Nos dois dias haverá debates para discutir o funcionamento das universidades católicas, tanto na pesperctiva de pesquisa e ciência quanto na questão pastoral. Sempre como base a constituição apostólica.

A Constituição Apostólica “Ex Corde Ecclesiae”, promulgada em 15 de agosto de 1990, orienta as universidades católicas na perspectiva doutrinal e, ao mesmo tempo, pastoral. A Constituição é uma reflexão sobre a importância histórica e atual das universidades, a partir de sua identidade e de sua missão de serviço à sociedade, principalmente no diálogo entre fé e ciência, fé e cultura. Deste modo, a Constituição conduz, através de normas gerais, a atuação das universidades católicas na sociedade contemporânea.

O evento é organizado pelo Núcleo de Fé e Cultura da Universidade e será realizado no Auditório Dom Gilberto, no Campus I (Rodovia Dom Pedro I km, 136, Parque das Universidades), da PUC-Campinas. A participação é aberta ao público

Saiba Mais

O Cardeal Zenon Grocholewski foi designado, em novembro de 1999, pelo Papa João Paulo II, Prefeito da Congregação para a Educação Católica - cargo equivalente ao de ministro da Educação em um governo civil -, responsável pela supervisão, em todas as dioceses no mundo, dos seminários, casas de formação de religiosos e institutos seculares, universidades, faculdades, institutos e escolas de estudos eclesiásticos e civis que sejam ligadas à Igreja. (Luciana Félix/AAN)