Publicado 04 de Maio de 2015 - 18h21

Por Adagoberto F. Baptista

Fotos: César Rodrigues

Gustavo Abdel

DA AGÊNCIA ANHANGUERA

[email protected]

Apesar da procura ter sido intensa durante toda a tarde de ontem nas sete zonas eleitorais de Campinas, menos de 10% dos 17 mil eleitores do município que precisavam fazer a regularização perante à Justiça Eleitoral compareceram no Palácio de Justiça. Ontem foi o último dia para aqueles que votaram e não justificaram ausência nas três últimas eleições pudessem se regularizar. O cartório da 378ª zona eleitoral, a maior de Campinas, com 4,2 mil eleitores precisando de regularização foi o mais movimentado durante a segunda-feira.

Quem não regularizou teve seu documento cancelado e vai precisar buscar o Judiciário até maio do ano que vem caso queira votar na próxima eleição. Sem o título de eleitor, segundo a Resolução 23.419 do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), é proibido, por exemplo, tirar passaporte, participar de concursos públicos ou solicitar o Cadastro de Pessoa Física (CPF). O cancelamento automático do título de eleitor será efetivado pela Justiça Eleitoral no período de 19 a 21 de maio.

Apesar das filas que começaram a se formar do lado de fora do Palácio da Justiça antes do início do serviço, o movimento de eleitores estava tranquilo, segundo a chefe de cartório da 378ª Zona Eleitoral de Campinas, Elaine Melo. “O movimento está bem menor do que em anos anteriores, mas mesmo assim a procura no último dia é sempre maior do que ao longo do período estipulado para a regularização. Em nossa zona tivemos um reforço de quatro servidores”, disse. O número total de ausentes na regularização em Campinas não havia sido divulgado até às 18h.

Caso o eleitor quiser votar na próxima eleição e estiver em débito terá de buscar a Justiça até antes o fechamento do cadastro, que ocorre em maio do ano que vem. O eleitor também vai arcar com uma multa no valor de R$ 3,51 por cada turno que deixou de comparecer. Esse era o caso do pedreiro Alexandre de Freitas, de 63 anos, que não votou no primeiro turno das eleições do ano passado e procurava a Justiça para se regularizar. “Deixei para a última hora, mas estou em tempo. Se precisar pagar eu pago para ficar tudo certinho”, disse.

O cartório emite o boleto que pode ser pago nas agências bancárias e na casas lotéricas. A relação com nomes e inscrições dos eleitores faltosos foi disponibilizado pelo TSE nos cartórios eleitorais de todo o País. O eleitor também pode consultar sua situação no site do tribunal, na opção "Serviços ao eleitor".

Os eleitores menores de 18 anos, maiores de 70 anos ou analfabetos têm voto facultativo e não são identificados nas relações de faltosos, bem como as pessoas com deficiência.

Segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em Campinas, em 2013, do total de 13.977 eleitores que faltaram em pelo menos três pleitos na cidade, apenas 1.168 buscou o cartório para regularizar a situação.

Escrito por:

Adagoberto F. Baptista