Publicado 07 de Maio de 2015 - 11h31

Por Agência Estado

Boca Juniors e River Plate farão clássico nas semifinais da Copa Sul-Americana

France Press

Boca Juniors e River Plate farão clássico nas semifinais da Copa Sul-Americana

Além da grande final, pelo menos mais dois jogos da atual edição da Copa Libertadores certamente vão ficar guardados na história. O primeiro destes confrontos inesquecíveis está marcado para esta quinta-feira, às 21 horas (de Brasília), em Buenos Aires, onde o River Plate recebe o Boca Juniors, no início da batalha por vaga uma das vagas nas quartas de final, cujo desfecho será na próxima semana, em La Bombonera.

A rivalidade de mais de 100 anos e o momento dos clubes fazem o encontro ser ainda mais especial. As duas equipes se enfrentaram no último domingo pelo Campeonato Argentino, com vitória do Boca Juniors por 2 a 0, e vão se encontrar ainda mais duas vezes pela Libertadores.

A série de três confrontos em 10 dias aumentou a tensão e fez os dois times preparem provocações contra os rivais. O mandante do jogo desta quinta-feira, o River Plate, decorou o túnel que dá acesso ao vestiário dos visitantes no Monumental de Núnez com imagens do estádio lotado e de festa da torcida.

Já o Boca Juniors agiu pela internet. No Twitter oficial, o clube publicou uma imagem de uma nave espacial com o escudo do time em rota ao estádio do rival acompanhada da frase: “Uma viagem a terras hostis”. O contexto faz referência à torcida única, medida adotada por precaução na Argentina.

As campanhas opostas na fase de grupos da competição dão aos visitantes a condição de favoritos. O Boca Juniors teve o melhor retrospecto entre todos os participantes ao ganhar os seis jogos mesmo poupando os titulares nas últimas rodadas. Enquanto isso, o River Plate penou para avançar e fez a pior campanha entre os 16 restantes na briga pelo título.

Apesar disso, no último encontro por torneios continentais, o River Plate levou a melhor. A equipe passou pelo rival na semifinal da Copa Sul-Americana do ano passado, quando o goleiro Barovero ainda defendeu um pênalti de Gigliotti.

Ganhar a Libertadores é ainda uma obsessão por diferentes objetivos. O Boca Juniors sonha em chegar ao sétimo título e igualar o Independiente, maior campeão da história da competição. No caso do River Plate, ser campeão significa se reerguer do vexame vivido em 2011, quando caiu para a segunda divisão da Argentina.

ELENCOS - Até mesmo os treinadores são personagens opostos e inclusive se enfrentaram diversas vezes quando eram jogadores dos mesmos clubes. Marcelo Gallardo era um meia de técnica refinada no River Plate e costumava enfrentar a marcação do lateral Rodolfo Arruabarrena, do Boca Juniors.

O jogo também é um duelo de atacantes renomados. Da equipe da casa, a esperança é o colombiano Teo Gutiérrez. O time de La Bombonera aposta no ítalo-argentino Pablo Osvaldo, ex-Roma, e na criação do ex-jogador do Corinthians, o uruguaio Lodeiro.

Escrito por:

Agência Estado