Publicado 31 de Maio de 2015 - 5h30

Município com cerca de 226 mil habitantes, Indaiatuba é conhecida como “capital paulista da bicicleta”, e concentra uma média de quase uma por morador. Segundo estimativa da Associação dos Ciclistas de Indaiatuba (ACI) realizada no ano passado, existem em torno de 145 mil veículos de duas rodas circulando pela cidade. O número de bicicletas supera a quantidade de carros, que é de 96,6 mil, de acordo com o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). Apesar do grande número de ‘bikes’, a cidade é um exemplo de convívio pacífico entre o carro e a bicicleta. No ano passado foram somente dois acidentes de trânsito envolvendo ciclistas e que resultaram em internação médica.

O presidente da ACI, Agnaldo Sérgio Hubert, afirma que o fato de muitos motoristas também serem ciclistas ajudou a reduzir os acidentes envolvendo as bicicletas, assim como a expansão de ciclovias e ciclofaixas. Além disso, ele lembra que a entidade realiza palestras de conscientização em empresas e escolas.

“Dois fatores foram importantes para essa redução. A construção se mais ciclovias e ciclofaixas, serão mais 15 quilômetros até o final do ano, e as palestras educativas que fazemos abordando a segurança no trânsito”, explica.

O terreno plano em boa parte da cidade estimula o uso da bicicleta tanto para lazer quanto para o trabalho ou escola. São mais de 20 quilômetros de ciclovias (espaço separado para as bikes) e ciclofaixas (faixa sem separação física) em Indaiatuba, e um velódromo (pista de corrida de bicicletas) está em construção na cidade, com previsão de ser concluída no segundo semestre. “Sem dúvida temos mais bicicletas que automóveis. Tem casas com quatro moradores e seis bicicleta e temos muitos dentistas e empresários indo trabalhar de bike”, ressalta Hubert.

Além do grande número de veículos de duas rodas, o município conta com um serviço de empréstimo gratuito de bicicletas. A cidade conta há três anos com o projeto Ecobike, no qual são disponibilizadas bicicletas produzidas com material reciclável para a população usar gratuitamente. Desde que entrou em atividade, em julho de 2012, o projeto já realizou cerca de 50 mil empréstimos de bikes.