Publicado 09 de Maio de 2015 - 5h30

Funcionários das unidades da Fundação Casa de Campinas aderiram à greve que atinge cerca de 90% das unidades do Estado. Segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Entidades de Assistência e Educação à Criança, ao Adolescente e à Família do Estado (Sitraemfa), a paralisação é por tempo indeterminado e foi definida em assembleia realizada no dia 2. Os trabalhadores reivindicam aumento salarial de 28,16%, mais segurança no trabalho, licença maternidade de 180 dias e auxílio às crianças com necessidades especiais, entre outros 64 pontos da pauta.

O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) convocou representantes do governo e do sindicato para uma audiência de conciliação na próxima segunda-feira, às 9h. “Há uma grande adesão na região de Campinas e todas as quatro unidades aderiram. A grande questão é a valorização dos servidores”, disse Aline Salvador, diretora do Sitraemfa.

Uma liminar obtida na Justiça pela Fundação Casa determina que 70% dos funcionários continuem trabalhando. Em caso de descumprimento, a multa é de R$ 100 mil diários. Segundo Aline, a orientação é que as unidades cumpram a decisão. A Fundação Casa não divulgou quantos trabalhadores estão parados. O Estado pediu o retorno ao trabalho para “dar continuidade ao diálogo”. (Bruno Bacchetti/AAN)