Publicado 31 de Maio de 2015 - 5h30

Um dia antes de entregar o cargo ao técnico colombiano Juan Carlos Osorio, Milton Cruz tem uma última e complicada missão no comando do São Paulo. O time está há 40 dias sem vencer como visitante e enfrenta hoje, às 16h, o Internacional, rival que vai jogar no estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, embalado pela classificação à semifinal da Copa Libertadores e disposto a começar a reagir no Campeonato Brasileiro, em sua quarta rodada.

Na manhã de ontem, debaixo de muito sol, o técnico são-paulino comandou um trabalho de fundamentos, seguido de um animado rachão, que teve show da dupla Luis Fabiano e Carlinhos, que comandou a vitória de sua equipe por 7 a 2. O lateral fez quatro gols, enquanto o atacante marcou três vezes.

Mas, apesar de ter brilhado no rachão, Luis Fabiano não deve começar jogando. O técnico adiantou a possível escalação, e pretende colocar Alexandre Pato em seu lugar.

Carlinhos, no entanto, outro destaque do treino, tem vaga garantida, e substitui Reinaldo no time titular. O reforço não entra em campo há 40 dias, por causa de uma lesão na coxa esquerda. Rafael Toloi não se recuperou de lesão no ombro direito e por isso Paulo Miranda continua no time.

Outro desfalque certo do time é Ganso. Ele pediu dispensa para resolver problemas particulares e vai ser substituído por Wesley ou Centurión.

Homenagem

[TEXTO]Alexandre Pato aposta em uma vitória, e prometeu que ela será dedicada a Milton Cruz, além de contribuir com o ambiente para a chegada de Osorio. “O novo treinador terá todo o nosso respaldo. Temos de ajudar. Quando se muda de país é preciso um tempo para a pessoa se adaptar”, disse o atacante.

Milton

Para Milton Cruz, o jogo de hoje deve ser um divisor de águas após onze anos. Ele terá todo o apoio dos atletas para voltar à posição anterior, e ser auxiliar de Osorio no banco de reservas.

Milton, no entanto, fala até em fazer um estágio na Europa para tentar iniciar, de fato, a carreira de treinador. “Não sei o que vai acontecer. O presidente não conversou nada co[/TEXTO]migo sobre isso, mas estou fazendo o que tenho para fazer para que as coisas corram bem no São Paulo", disse há uma semana.

O prestígio do elenco, aliás, não se limita a Milton Cruz. A saída de Gustavo Vieira de Oliveira do cargo de gerente de futebol, no meio da semana, também foi muito comentada. E a esperada vitória também será dedicada a ele. (Das Agências)

INTERNACIONAL

Muriel; William, Paulão, Réver e Geferson; Nico Freitas, Nilton, Alex e Anderson; Vitinho e Rafael Moura. Técnico: Diego Aguirre.

Gaúchos vão a campo desfalcados após ‘batalha’

Após garantir a sua vaga na semifinal da Copa Libertadores com a vitória sobre o Independiente Santa Fe, o Internacional volta agora as suas atenções para o Campeonato Brasileiro. Mas o jogo contra o São Paulo não será uma tarefa fácil. O Colorado sofreu varias baixas após a batalha das quartas de final do torneio continental. D'Alessandro, Sasha, Nilmar e Valdivia desfalcam a equipe no duelo contra o time paulista.

Além destes desfalques

por contusão, Aránguiz se apresentou ao Chile para iniciar os preparativos para a disputa da Copa América por seu país. Com todos estes problemas, o técnico Diego Aguirre vai repetir a estratégia que usou diante do Vasco, na última rodada, quando escalou Nilmar e os reservas do time e arrancou um empate em São Januário. O problema é que Nilmar, que saiu do duelo contra o Independiente Santa Fe com suspeita de fratura do maxilar, também está fora de combate, literalmente. Seu substituto será Rafael Moura, amuleto da vitória contra os colombianos. O atacante entrou no fim da partida e participou do segundo gol da equipe gaúcha, que garantiu a vaga a semifinal.

A boa notícia antes do confronto contra o time do Morumbi foi a convocação do lateral-esquerdo Geferson para a Copa América por Dunga na vaga de Marcelo, do Real Madrid, lesionado. O jogador não esperava

pela oportunidade e afirmou que projetava fazer parte da seleção olímpica, que disputa os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio.

"O celular tocou com essa notícia. A meta era seleção olímpica. Já que veio a principal, fico muito feliz e não quero sair mais", declarou o atleta, moptivado demais, (Da Agência Estado)