Publicado 09 de Maio de 2015 - 5h30

O Brasileirão 2015 começa hoje sem nenhum grande favorito e com a promessa de grande equilíbrio nas lutas pelo título, vagas na Libertadores e permanência na divisão de elite. O bicampeão Cruzeiro dominou as duas últimas edições, mas perdeu Ricardo Goulart, Everton Ribeiro e Lucas Silva, todos no Exterior. Outras peças importantes seguem na Toca da Raposa, assim como o técnico Marcelo Oliveira, mas ainda assim será muito difícil conquistar o tri. Acredito que o Cruzeiro terá dificuldades até mesmo para obter uma vaga na Libertadores.

O Corinthians, pelo que mostrou nos primeiros meses do ano, seria um favorito natural. Não está descartado, mas precisa recuperar seu ritmo. Tite é um técnico excelente e o elenco é muito bom, mas a diretoria precisa dar um jeito de manter os salários em dia. Se Guerrero for embora, a missão ficará ainda mais difícil.

Voltando a Minas, o Atlético parece viver um momento melhor do que o rival. Tem condições de fazer algo melhor do que o 5 lugar do ano passado, quando ficou com 18 pontos a menos do que o campeão. Dá para pegar uma Libertadores e, quem sabe, brigar pelo título.

O Rio Grande do Sul também tem um favorito. O Inter começa a competição com um elenco de bastante qualidade, mas não é a primeira vez que isso acontece nos últimos anos. O time já está pegando fama de ser aquele tipo de favorito que nunca faz o que dele se espera. Mas nesse campeonato sem nenhum favorito claro, pode ser que o Inter finalmente chegue lá. Contestado no início, o técnico uruguaio Diego Aguirre ganhou a confiança da torcida. Faz um intenso revezamento no time titular e isso pode ajudar a equipe, que talvez tenha que dividir as atenções entre Brasileiro e Libertadores.

No Rio, temos a volta do Vasco, mas como o Botafogo caiu, o estado terá apenas três representantes outra vez. Apesar do título carioca, não vejo o Vasco brigando no alto da tabela. Do trio carioca, acredito que o Flamengo é o que tem mais chances de brigar por vaga na Libertadores.

Entre os outros três grandes de São Paulo, destaque para o Palmeiras, que apresentou Fellype Gabriel (seu 21 reforço) e segue contratando. Pode surpreender, se encorpar o elenco. O Santos depende muito de Robinho (e ele deve ficar fora de vários jogos por causa da Seleção) e tem poucas opções no banco. O São Paulo dá sinais de evolução, mas não acredito que será capaz de brigar pelo título. Se tudo der muito certo, fica no G4.

Enfim, há muito equilíbrio entre os favoritos e não será surpresa para ninguém se algum time de fora da lista brigar pelo título. A imprevisibilidade é uma das grandes atrações do Brasileirão.