Publicado 31 de Maio de 2015 - 5h00

Serão disponibilizados ao menos 14 vacinas para esse público específico

Divulgação

Serão disponibilizados ao menos 14 vacinas para esse público específico

A campanha de vacinação contra a gripe em Sorocaba registrou, até a última quarta-feira (27), um índice de cobertura de 65,96% dos grupos prioritários, com a aplicação de 83.391 doses desde o último dia 4, quando a ação teve início.

A Secretaria da Saúde informa que a iniciativa prossegue até a próxima quarta-feira (3) nas 31 Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e a meta, conforme recomendação do Ministério da Saúde, é atender ao menos 80% do público-alvo de 126.467 pessoas, ou seja, imunizar 101.173 munícipes.

O índice local é superior ao computado no Brasil todo, que foi de 62,43%, contra 67,27% no Estado de São Paulo. Ao se levar em consideração o percentual de 63,41% constatado na área da regional de saúde da Vigilância Epidemiológica, que engloba 33 cidades, Sorocaba também está um pouco melhor.

“Mesmo assim, está abaixo do esperado. Imaginávamos atingir ao menos 75% nesta fase, ainda mais porque houve a prorrogação da campanha, que terminaria do dia 22 de abril”, explica a chefe da Divisão de Vigilância Epidemiológica (VE), Renata Guida Caldeira.

Rejeição

A vacina disponível na campanha é do tipo trivalente, que protege da gripe A/H1N1 e contra outros dois tipos do vírus Influenza (A/H3N2 e B). Em poucos casos, podem ocorrer manifestações de dor no local da injeção ou endurecimento, mal-estar, mialgia ou febre, todas estas ocorrências que tendem a desaparecer em 48 horas.

“O que acontece é que muita gente ainda tem medo, recebem informações equivocadas, o que causa uma rejeição e não tomam a vacina”, argumenta.

Renata destaca que a vacina é composta de vírus similar ao Influenza, de forma fragmentada e inativada.

A vacina só não é recomendada para quem teve reação alérgica grave a uma dose anterior da vacina ou se a pessoa apresentou reação alérgica à proteína do ovo, que é usada na sua fabricação.

Renata também avisa que é importante não deixar de última hora para receber a vacina. O objetivo é imunizar a população para que esteja protegida quando o inverno chegar, pois o clima nessa época do ano favorece a proliferação da gripe. “Acontece que o clima frio já chegou. A hora de tomar a vacina é agora, assim a pessoa já fica imune.”

Grupos prioritários

Entre os grupos prioritários da campanha, a maior adesão (76,10%) é de idosos com 60 anos ou mais, pois 50.154 doses foram aplicadas, diante de um público de 65.906.

“É um grupo que está acostumado a participar da campanha todos os anos e que tem maior risco decorrente de um possível agravamento de gripe. Então eles se previnem”, aponta. Entre as puérperas, das 1.123 previstas, 775 (69,01%) foram imunizadas.

A menor adesão está entre os profissionais da saúde, pois somente 6.883 (40,61%) foram vacinados, de um total de 16.947.

“Embora o atendimento a esse grupo tenha sido intensificado após o dia 18 de abril, tem muito estabelecimento de saúde que ainda não nos enviou os mapas de doses aplicadas, mas tem ainda aqueles que ainda não tomaram mesmo a vacina”, analisa a chefe da VE.

Outro alerta é para as gestantes, uma vez que pouco mais da metade do número previsto foi imunizado até então. Das 6.835 gestantes, 3.819 receberam a vacina, o que representa 55,88%.

“Em geral, aquelas atendidas na rede municipal passam por consulta mensal, mas a orientação é que não esperam por esse atendimento e já vão à UBS para tomar a vacina”, orienta Renata.

As crianças de 6 meses de idade até 4 anos e 11 meses também fazem parte do público-alvo da campanha. A população nessa faixa etária é de 35.657, mas 21.749 (61% do total) estão imunizadas. Elas precisam tomar duas doses para estarem protegidas, sendo a segunda 30 dias após a primeira.