Publicado 05 de Maio de 2015 - 5h00

Por Gustavo Abdel

A meta do Castramóvel é atingir 200 mil animais na primeira fase

Cedoc/RAC

A meta do Castramóvel é atingir 200 mil animais na primeira fase

O Departamento de Proteção e Bem-Estar Animal de Campinas cadastrou com microchips e castrou gratuitamente 885 animais domésticos no bairro Vila Boa Vista, região Norte, durante etapa inicial do programa municipal. A ação ocorreu à bordo do "castramóvel" - ônibus estruturado para rodar os bairros e atender a população animal em na região periférica. O distrito do Campo Grande é o próximo a receber o programa, que tem como meta, na primeira fase, atingir 200 mil animais em Campinas.

"Considerando que 20% da população canina e felina do bairro Vila Boa Vista já era castrada quando fizemos as abordagens, o índice de esterilização animal no bairro saltou para 80%. Uma boa adesão dos moradores", avaliou o veterinário Paulo Anselmo Nunes Felippe, diretor do Departamento de Bem-Estar Animal, órgão ligado à Secretaria Municipal do Verde, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável. O castramóvel leva até seis veterinários aos bairros e antes de se iniciar a castração e microchipagem é feito um trabalho de levantamento e convencimento casa a casa.

Preparação

"A equipe passa na residência, realiza o pré-operatório, e depois do procedimento o dono do animal recebe o certificado de microchipagem, cartilha e cuidados de pós-operatório" , explicou o diretor. O objetivo central do programa é controlar a população animal de rua em Campinas, que gira em torno de 20 mil, segundo o diretor.

O sistema de cadastro será on-line e reunirá informações do pet, como raça, idade e vacinas, e também do dono. Com isso, será possível identificar donos de animais abandonados. O investimento total da implantação do projeto - incluindo veículo, equipamentos e utensílios - é de R$ 1 milhão. O programa on-line foi criado pela Informática de Municípios Associados S.A. (IMA) de Campinas.

Procedimento

O chip implantado nos animais, do tamanho de um grão de arroz, é inserido com uma espécie de seringa. O procedimento é rápido e quase indolor para o animal. O custo do projeto anual é de R$ 400 mil.

De acordo com o diretor, em um segundo momento será possível, através do material colhido da população animal do Boa Vista - e posteriormente de demais regiões -, saber se há alguma doença prevalente nos animais, e assim facilitar o tratamento. "Assim que levantarmos qual verminose o animal possui, enviaremos e-mail aos donos e também aos veterinários dos respectivos animais" , explicou.

Estatuto

Antes do programa chegar até a região do Campo Grande, o "castramóvel" deverá atender uma comunidade que passa por um processo de desapropriação, e os animais deverão ser cadastrados para até mesmo saber se é o animal é compatível com a nova moradia. Os bairros São José e Itajaí também integram a lista de bairros que receberão o programa.

Durante lançamento do programa, em março, o secretário do Verde Rogério Menezes disse que a intenção dentro dos próximos quatro anos é chegar a 150 mil animais cadastrados. Está em discussão na Câmara de Campinas, na Comissão de Proteção e Direitos dos Animais, o Estatuto de Proteção, Defesa e Controle das Populações Animais Domésticos de Campinas . O documento contém mais de 100 artigos e foi elaborado com o objetivo de regularizar as condições de vida dos animais, os deveres do cidadão e do poder público.

Escrito por:

Gustavo Abdel