Publicado 07 de Maio de 2015 - 19h34

Por Agência Estado

O coronel Cesar Kogut pediu demissão no final da tarde desta quinta-feira (07) do cargo de comandante geral da Polícia Militar do Paraná, após período de grande desgaste após o confronto com professores no dia 29 de abril, quando 213 manifestantes e 21 policiais ficaram feridos. O coronel Carlos Alberto Bührer o substituirá interinamente.

Kogut alegou "dificuldades intransponíveis com a Secretaria de Estado da Segurança". O secretário Fernando Francischini (Solidariedade) continua no cargo, apesar das pressões contrárias, e depois de ter responsabilizado a PM pelas operações.

Segundo fontes da corporação, Kogut já teria demonstrado vontade de entregar o cargo, após coletiva em que o secretário afirmou ser apenas um gestor da Segurança. "A responsabilidade das operações de campo são da Polícia Militar", declarou Francischini.

Assim como o secretário e o governador Beto Richa, Kogut também pode vir a dar explicações ao Ministério Público do Paraná sobre os incidentes. O MP investiga toda a cadeia de comando dos fatos que antecederam o confronto em frente ao Palácio Iguaçu.

Escrito por:

Agência Estado