Publicado 06 de Maio de 2015 - 18h25

Integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) ocuparam na manhã desta quarta-feira (6) duas unidades do Instituto Biossistêmico (IBS), que presta serviços ao Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), no interior de São Paulo.

Oitenta integrantes, segundo a Polícia Militar, invadiram o prédio do IBS em Iaras, sudoeste paulista. Outros 60 sem-terra, ainda segundo a PM, entraram no escritório do instituto em Bauru, noroeste do Estado.

De acordo com a PM, os militantes mandaram que os funcionários deixassem o local e se instalaram nos prédios. Não houve violência.

Os grupos reivindicam a desapropriação de trinta fazendas da região que estariam instaladas em terras públicas e mais assistência aos assentados. Pedem ainda a regularização de assentamentos que têm famílias em lotes precários. As duas unidades já foram alvos de invasões outras quatro vezes nos últimos anos.

A superintendência do Incra em São Paulo confirmou as ocupações e lamentou que as lideranças não tenham atendido a pedidos de reunião para que seus técnicos prestassem esclarecimentos sobre os processos de desapropriação e os investimentos na região. O Incra informou ter ajuizado mais de 50 ações judiciais para a retomada de 17 mil hectares que seriam terras públicas do Núcleo Colonial Monção, entre os municípios de Iaras, Agudos e Lençóis Paulista, e aguarda o julgamento dos processos. Ainda conforme o Incra, a pauta de reivindicações do MST foi encaminhada na tarde desta quarta para ser analisada.