Publicado 07 de Maio de 2015 - 21h30

FBI investiga cena do tiroteio no Curtis Culwell Center

France Press

FBI investiga cena do tiroteio no Curtis Culwell Center

O ataque a um centro onde se celebrava um concurso de caricaturas de Maomé no Texas (sul dos EUA) parece ter sido "inspirado" mas não "comandado" pelo grupo Estado Islâmico (EI), avaliou nesta quinta-feira o secretário americano da Defesa, Ashton Carter.

"Nossa impressão, após as investigações em curso, é que este ataque foi inspirado pelo EI, mas não comandado pelo EI, o que é muito diferente", avaliou Carter durante coletiva de imprensa.

Os jihadistas reivindicaram a ação frustrada, na qual os dois atacantes armados com fuzis de assalto acabaram sendo mortos pela polícia, quando abriram fogo na parte externa do evento em Garland, subúrbio de Dallas.

"Mesmo assim é preocupante que haja indivíduos como estes que tomem o EI como inspiração", acrescentou.

É a primeira vez que o grupo armado EI, que se apoderou de amplas extensões do território do Iraque e da Síria, tentou atribuir a seus membros um ataque em solo americano.

Carter disse que o fato de a propaganda on-line do grupo no ataque do Texas dá "outro motivo de porque a derrota do EI é importante". 

A Casa Branca havia informado no começo da semana que as agências de inteligência e policiais continuam investigando para determinar se o EI estava por trás do ataque em Garland.

Um dos atacantes, Elton Simpson, foi condenado a três anos de liberdade condicional em 2011, após mentir ao FBI sobre o planejamento de uma viagem à Somália. A promotoria alegou que tinha a intenção de viajar para lá para se somar à jihad, mas um juiz desconsiderou as acusações.