Publicado 07 de Maio de 2015 - 10h54

Por France Press

A Arábia Saudita, que lidera uma campanha aérea contra os rebeldes xiitas no Iêmen, propôs nesta quinta-feira (7) um cessar-fogo de cinco dias no país para permitir a chegada de ajuda humanitária para a população, duramente afetada pela guerra.

"O reino pensa que pode acontecer um cessar-fogo de cinco dias no Iêmen para coordenar, com as organizações internacionais, a distribuição de ajuda humanitária", declarou o ministro das Relações Exteriores saudita, Abdel al-Jubeir, durante uma entrevista coletiva em Riad ao lado do secretário de Estado americano, John Kerry.

Jubeir ressaltou, no entanto, que o cessar-fogo só poderá acontecer "se os huthis (rebeldes xiitas) e seus aliados (militares leais ao ex-presidente Ali Abdallah Saleh) assinarem, não impedirem os esforços humanitários e não adotarem ações agressivas".

Kerry pediu aos rebeldes rebeldes xiitas que aceitem a proposta saudita.

"O cessar-fogo depende dos huthis", disse.

"Pedimos com firmeza aos huthis e aos que os apoiam que utilizem sua influência com o objetivo de não perder esta grande oportunidade para responder às necessidades da população iemenita e encontrar uma via pacífica no Iêmen", insistiu o secretário de Estado americano.

Kerry declarou que "nem Arábia Saudita, nem Estados Unidos falam de enviar tropas terrestres ao Iêmen", um dia depois do governo iemenita no exílio ter solicitado a medida para proteger os civis.

Escrito por:

France Press