Publicado 05 de Maio de 2015 - 13h32

Por France Press

Associações de defesa dos animais denunciaram nesta terça-feira (5) a morte na Espanha de um chimpanzé fêmea chamada Eva, que foi baleada por membros da Guarda Civil depois de ter escapado de um zoológico na companhia de Adam, um macho de sua espécie.

"Estava muito nervosa e havia a possibilidade que ela atacasse a equipe que estava procurando a dupla. Não foi possível usar dardos anestésicos" na segunda-feira na ilha de Mallorca, nas Ilhas Baleares, explicou à AFP um porta-voz da Guarda Civil.

"Eles são dois macacos, um macho e uma fêmea, grandes, pesando entre 70 e 80 quilos", indicou acrescentando que, em um animal deste porte, a anestesia "leva cerca de cinco minutos para fazer efeito".

Os dois chimpanzés fugiram do zoológico de Sa Coma, a leste de Mallorca, na segunda-feira às 12H30 (7H30 de Brasília).

"Parece que quebraram as grades da jaula", informou o porta-voz da Guarda Civil.

A busca pelo macho continuava nesta terça-feira em uma área arborizada e montanhosa. Vamos tentar "pegá-lo sem machucá-lo, mas se não for possível, se não houver escolha, teremos que abatê-lo também", acrescentou a mesma fonte.

A organização espanhola de proteção dos primatas "Proyecto Gran Simio" apelaram às autoridades locais para que o jardim zoológico de Sa Coma "seja fechado imediatamente por irresponsabilidade grave no tratamento de grandes animais e porque não há nenhum protocolo de segurança que teria impedido a fuga e morte" da chimpanzé.

Adam "segue desaparecido e deve estar com medo sem saber o que fazer", acrescentou a organização.

"Lamentamos profundamente a morte de Eva e condenamos o que aconteceu", declarou, por sua vez, Javier Moreno, co-fundador da organização Igualdade Animal, que disse que "não é a primeira vez, nem será a última, que animais desesperados escapam desses lugares e depois são mortos a tiros".

Escrito por:

France Press