Publicado 03 de Maio de 2015 - 13h44

Parte da carga recuperada pela polícia de mega-assalto ao Magazine Luiza, em Louveira

Alenita Ramirez/ AAN

Parte da carga recuperada pela polícia de mega-assalto ao Magazine Luiza, em Louveira

A Polícia Civil de Campinas recuperou na noite deste sábado (2), em Santo Antônio do Jardim, divisa com o Sul de Minas Gerais, e a 133 km de Louveira, parte da carga roubada na madrugada de sábado, do Centro de Distribuição da Magazina Luiza.

Segundo o delegado da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), Carlos Henrique Fernandes, policiais tiveram informações de que a carga seria levada para aquela região e uma equipe, com apoio do Garra, foi para o local, onde fez diligências por várias cidades até achar, por volta das 23h, o caminhão ao lado de um posto de combustível.

O veículo estava sem a chave e trancado. Para abrir o baú, os policiais arrombaram os cadeados e descobriram a carga, sendo maior parte de tablets, celulares e jogos Xbox, com etiquetas da loja vítima. Como o veículo possui chave codificada, não foi possível ligá-lo e para trazê-lo para Campinas foi necessário guinchar com um caminhão especial. "É apenas uma parte da carga e não sabemos quantificar quanto foi recuperado", disse o chefe de investigação da DIG, Marcelo Hayashi.

O caminhão foi roubado no dia 14 do mês passado, em Salto. A placa era clonada de um caminhão de Curitiba. Ninguém foi preso.Segundo a delegada assistente, Denise Florencio Margarido, a carga estava no local para descansar.

A investigação do roubo é feita pela DIG de Jundiaí e até ontem a tarde não se sabia o valor da carga levada pelos criminosos. Segundo o delegado titular da DIG Jundiaí, Luís Carlos Duarte, os auditores-fiscais da empresa não tinham conseguido fechar o que foi levado e a quantidade.

Mesmo com essa localização, nossas investigações continuam. Já identificamos um integrante do bando”, comentou Duarte, frisando que não é descartada a hipótese de que o bando faça parte da quadrilha que roubou em julho do ano passado a empresa Samsung em Campinas. “Estamos trabalhando em conjunto para descobrirmos a autoria deste roubo. É muito importante o entrosamento das policias de Campinas e Jundiaí”, frisou o delegado do Deinter-2, Kleber Antonio Torquato Altale.

O caminhão com a carga foi levado para um barracão da empresa, cujo local não foi informado.

ROUBO

O assalto ocorreu na troca de turno dos funcionários por volta das 23h50. Os criminosos, ao menos 15, segundo Duarte, fingiram ser funcionários, com uniformes e crachás, usando peruca e barba postiça, renderam primeiro os vigias e depois os funcionários. Ao menos 80 trabalhadores foram rendidos e presos em um dos cofres onde ficam as cargas valiosas. A ação durou cerca de duas horas.

A princípio, a polícia informou que os bandidos levaram para o centro logístico, oito caminhões e duas carretas, mas Duarte disse que imagens do sistema de monitoramento mostram ao menos dois caminhões e duas carretas. “Os bandidos tinham informações de rotina da empresa e não usaram os funcionários para transportar a carga até os caminhões”, disse Duarte.