Publicado 27 de Março de 2015 - 15h29

Por Carlos Augusto Rodrigues da Silva

Depois de sofrer com a ausência de jogadores importantes nas últimas rodadas, o técnico Marcelo Veiga ganhou trégua e um pouco mais de tranquilidade para escalar o Guarani que enfrenta hoje o Rio Branco. E terá a oportunidade de, pela primeira vez na Série A2, mandar a campo um time que já tenha atuado junto na temporada. Com as voltas de Fumagalli e Watson, que cumpriram suspensão, o treinador aguarda o volante Éder Silva, que está recuperado de lesão, treinou ontem, mas não foi confirmado. Se ele jogar, o Bugre será o mesmo que venceu o Independente por 2 a 0, naquela que foi, até o momento, a melhor atuação da equipe no campeonato.

O número reduzido de desfalques de desfalques também anima. À exceção do lateral-direito Oziel, que está em fase final de recuperação de uma fratura no antebraço e do volante Thiago Carpini, que levou o terceiro cartão amarelo, todos os outros jogadores estão à disposição e vão permitir que o treinador monte uma equipe bem próxima daquela que considera ideal, além de ganhar alternativas no banco.

Veiga comemora o aumento das opções e crê que ter o elenco mais encorpado é fundamental nessa reta final de competição. “O elenco conta bastante, ainda mais em um momento de definição como agora. Quanto mais inteiro o time estiver, mais facilidade teremos para chegar onde a gente quer”, avalia o treinador. “Faz uma diferença grande. Os times que tiverem a possibilidade de manter o elenco principal á disposição nesse momento vão levar uma certa vantagem”, completa. (CR/AAN)

Escrito por:

Carlos Augusto Rodrigues da Silva