Publicado 26 de Março de 2015 - 18h05

Por Carlos Augusto Rodrigues da Silva

Carlos Rodrigues

Da Agência Anhanguera

[email protected]

A antecipação no horário do jogo de amanhã contra o Rio Branco das 16h para 10h por pedido da emissora detentora dos direitos de transmissão da Série A2 do Campeonato Paulista provocou duras críticas do técnico Marcelo Veiga e forçou o Guarani a adotar uma preparação especial para a partida. Será a primeira vez no ano que o Bugre atuará no período matutino e, por isso, a comissão técnica vai optar por algumas medidas para tentar minimizar o impacto sobre os jogadores.

Duas são as principais preocupações. Uma delas é a alimentação, já que o café da manhã na concentração em Campinas antes da ida para Americana terá que ser reforçado, algo que não é habitual em dias de jogos. “Eles vão ter que acordar bem cedo e se alimentar umas 3 horas e meia antes do jogo. Não vamos improvisar, mas não vai dar para ficar só na vitamina e no leite”, explica o preparador físico Sandro Sargentim. “Temos que recorrer a carboidratos e frutas para que possamos minimizar a ação da alimentação tão cedo”

O período de descanso dos atletas também merece atenção. Além de ter jogado 24 horas depois que o adversário – o Rio Branco entrou em campo na terça e o Bugre na quarta -, o tempo de sono na véspera do jogo tende a ser menor. “Os jogadores têm o metabolismo acelerado e, por mais que os prendamos no hotel, quando forem para o quarto continuam acordados até tarde e o sono não é o ideal”, destaca o profissional.

Segundo Sargentim, o fato do time treinar muitas vezes pela manhã auxilia um pouco na adaptação, mas não impedirá que o time sinta alguma dificuldade quando a partida estiver acontecendo. “O atuar às 10 não é tão diferente porque eles normalmente também treinam cedo, mas treino é muito diferente da demanda do jogo e toda sua competitividade. Por isso, vamos tentar minimizar os problemas para que eles não sintam muito isso”, ressalta o preparador.

Entre os jogadores, a partida disputada pela manhã não é vista com bons olhos. O meia Fernandinho, que no ano passado disputou vários jogos nesse horário na Série A3 quando estava no Juventus, garante que sente muito o impacto. “Eu, particularmente, não consigo dormir direito e alimentação também fica prejudicada. É um horário complicado”, observa.

Time

O técnico Marcelo Veiga define hoje o time que enfrenta o Rio Branco podendo contar com os retornos de Coppetti, Watson e Fumagalli, que cumpriram suspensão. O volante Éder Silva ainda não está totalmente recuperado de lesão e ainda é dúvida. O desfalque é Thiago Carpini, que levou o terceiro cartão amarelo.

Escrito por:

Carlos Augusto Rodrigues da Silva