Publicado 23 de Março de 2015 - 11h39

Por Delminda Aparecida Medeiros

Sesc recebe obras da 31ª Bienal de Artes

Delma Medeiros

DA AGÊNCIA ANHANGUERA

[email protected]

O Sesc-Campinas recebe a partir de hoje, a itinerância da 31ª Bienal de Artes de São Paulo – Obras Selecionadas, exposição composta por 30 peças selecionadas do conjunto artístico que integrou a última Bienal, realizada em São Paulo no final de 2014, com o título Como (...) Coisas que não Existem. Cássio Quitério, um dos organizadores da mostra em Campinas, explica que a seleção de trabalhos de artistas nacionais e estrangeiros se deu a partir de diferentes relações entre ideias em torno dos termos conflito, coletividade, imaginação e transformação. “Em São Paulo a Bienal foi desenhada em cima de projetos dos vários artistas. Aqui recebemos um total de 30 obras, relativas a 14 projetos, realizados a partir de provocações da Bienal”, coloca.

Quitério cita que, para além da visitação, o Sesc-Campinas preparou diferentes opções de como adentrar na proposta conceitual trazida pela Bienal. Entre artistas, ativistas e pesquisadores, 18 profissionais recebem grupos previamente agendados ou formados na hora para percursos, ações educativas e debates relacionados aos temas trazidos pelo recorte das obras. “A proposta de recebimento do público em grupos, dá continuidade ao trabalho desenvolvido durante a exposição em São Paulo pelo Educativo da Bienal. Mas agora traz ênfase às questões locais da cidade de Campinas”, diz Quitério. A intenção desse trabalho é que as pessoas se identifiquem com as realidades retratadas nas obras, para que haja uma aproximação da arte contemporânea com a vida dos visitantes. O agendamento de visitas em grupos, a partir de 11 anos e no máximo de 40 pessoas, com mediação dos educadores da Bienal, pode ser feito pelo e-mail [email protected], durante todo o período da exposição, que fica em cartaz até 7 de junho.

Entre as obras selecionadas para a itinerância em Campinas, destacam-se o vídeo Apelo, filmado por Clara Ianni e Débora Maria da Silva no cemitério Dom Bosco, em São Paulo, construído para receber os cadáveres das vítimas da ditadura militar; a colagem It’s Just the Spin of Inner Life, da polonesa Agnieszka Piksa; Não é sobre sapatos, série de imagens registradas por Gabriel Mascaro durante as manifestações de 2013, mas sob a ótica da polícia; Open Phone Booth/ Black Series, da curda Nilbar Güre?, que registra, por meio de fotos e vídeos, as soluções criativas encontradas pelos moradores de Bingöl, no Curdistão turco, para as discriminações sociais geradas pelo governo central; e A Última Aventura, pesquisa de fotografia documental em que a artista gaúcha Romy Pocztaruk registra os resquícios do projeto da Rodovia Transamazônica, projeto faraônico arquitetado durante a ditadura militar, no governo do presidente militar Emílio Garrastazu Médici.

Com realização conjunta da Fundação Bienal, Sesc São Paulo e Ministério da Cultura, a abertura da 31ª Bienal de Artes de São Paulo – Obras Selecionadas ocorre hoje no Galpão do Sesc-Campinas, a partir das 20h. A visitação está liberada a partir de amanhã.

Saiba mais

Após o encerramento da 31ª Bienal de Artes de São Paulo, no final de 2014, a Fundação Bienal abriu um circuito itinerante para levar um recorte da mostra, até o final de 2015, a seis cidades no Brasil e uma no exterior. A itinerância começou por São José dos Campos e chega agora a Campinas. Depois segue para Juiz de Fora (MG), Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, Belo Horizonte (MG) e Porto, em Portugal. Trata-se da primeira vez que o programa de itinerâncias da Bienal de São Paulo viaja para fora do país desde a sua criação, em 2011. (DM/AAN)

Agende-se

O quê: Itinerância da 31ª Bienal de Artes de São Paulo – Obras Selecionadas - Como (...) coisas que não existem

Quando: Hoje, às 20h. Até 7/6, de terça a sexta, das 8h30 às 21h, sábados, domingos e feriados, das 9h30 às 18h

Onde: Galpão Multiuso do Sesc-Campinas (Rua D. José I, 270/333, Bonfim, fone: 3737-1500)

Quanto: Entrada franca. Agendamento de grupos (máximo de 40 pessoas) pelo e-mail [email protected]

Escrito por:

Delminda Aparecida Medeiros