Publicado 01 de Março de 2015 - 18h37

Por Bruno Bacchetti

Bruno Bacchetti

DA AGÊNCIA ANHANGUERA

[email protected]

Pela quarta vez em sete jogos no Campeonato Paulista da Série A2 o Guarani teve um jogador expulso. Na vitória sobre o Catanduvense foram dois, o atacante Nunes o zagueiro e Cris. Foi a segunda expulsão do defensor na competição. A primeira foi logo na estreia, contra o Monte Azul. As expulsões complicaram a vida do Guarani na partida, e jogadores bugrinos exaltaram a superação e o espírito de luta do time, que brigou até o fim para manter o placar.

"Quando tem alguém expulso tem que administrar e preencher os espaços. Conseguimos no primeiro tempo, mas infelizmente o Cris tomou o segundo amarelo numa falta que ele tinha que fazer. Conseguimos segurar com dedicação e determinação", afirmou o goleiro Neneca.

O técnico Marcelo Veiga criticou a postura do árbitro Rodrigo Pires de Oliveira. O técnico bugrino considerou a expulsão de Nunes e o primeiro cartão amarelo de Cris exagerados. "O Nunes falou que não xingou o árbitro, falou um palavrão pela situação do lance. A arbitragem não pode falar que o Nunes olhou para ele e xingou, porque estava de costas. No primeiro cartão amarelo do Cris ele estava discutindo com o Leandro, são amigos", avaliou. Para Veiga, se não fossem as expulsões o Guarani poderia ter vencido com maior tranquilidade. "Seria muito diferente se não tivessem as expulsões. Mesmo com todas essas dificuldades o Guarani conseguiu sair com a vitória. Já tivemos jogos melhores que esse em que acabamos oferecendo o gol para o adversário, como no jogo contra a Matonense".

Escrito por:

Bruno Bacchetti