Publicado 23 de Março de 2015 - 11h47

Por Agência Estado

Rodrigo Santoro brinca com imagem em 'Golpe Duplo'

Divulgação

Rodrigo Santoro brinca com imagem em 'Golpe Duplo'

Rodrigo Santoro brinca com imagem em 'Golpe Duplo'

 

Um enredo fechado, com começo, peripécias, quiprocós meio e fim. Mas sem nada muito ousado.  "Golpe Duplo", embora não tenha nada de muito diferente de uma fórmula convencional de um filme, fez sucesso e teve a  melhor renda no fim de semana de estreia nos cinemas brasileiros.

 

Uma comparação feita com o filme "Superpai", a comédia com Danton Mello, também estreou bem, mas depois estacionou e mal bateu nos 300 mil espectadores. O filme continuou crescendo, sinal de que o público curtiu a viagem dos diretores Ficarra e Requa. Nada nem ninguém é o que parece ser em "Golpe Duplo". Quando reencontra a ex-mulher (sempre) amada, Smith planeja um golpe contra Santoro, que atua no circuito automobilístico. O fato de ele ser amante de sua ex acirra a disputa. Só que o filme propõe muitas reviravoltas. 

 

Em entrevista, Rodrigo Santoro que cada vez mais garante seu espaço no cinema hollywoodiano, comenta que trabalhar com Will Smith é saber que trata-se realmente de um profissional."Já havia trabalhado com os diretores e eles também são humorados. Como consequência, o set foi só alegria. Mas não era fácil acompanhar as improvisações de Smith", completa.

 

Rodrigo ainda comenta sobre o narcisismo exacerbado de seu personagem. "É muito preocupado com a própria imagem, nesse mundo de celebridades. O ator diz que adorou os tons de cinza dos personagens e a mistura de gêneros do roteiro. "É thriller e comédia, tem suspense. E ninguém é unidimensional." 

 

 

 

 

Escrito por:

Agência Estado