Publicado 25 de Março de 2015 - 5h30

Um bandido se passou por vigilante e roubou cerca de R$ 60 mil da casa de câmbio do banco Safra que fica no novo terminal do Aeroporto de Viracopos, em Campinas, ontem de manhã. O falso vigia estava com um comparsa, e os dois fugiram em um carro escuro. Até a tarde de ontem ainda não haviam sido identificados. A Polícia Civil investiga a participação de um terceiro criminoso, que poderia estar como motorista do carro.

O assalto foi por volta das 11h, na hora do almoço. O falso vigia estava fantasiado com a farda e com o crachá da empresa de segurança Embrase. O vigilante que estava no interior do banco passou a arma, um revólver calibre 38, para o falso vigia sem desconfiar de nada, já que não há vigilantes fixos no local. Segundo a polícia, o bandido entrou e ficou sentado no local de serviço por cerca de dois minutos, depois abriu a porta para que o comparsa entrasse. Este bandido estava vestido normalmente.

“Os bandidos nem precisaram anunciar o assalto, pois as funcionárias entenderam que se tratava de um roubo”, contou o delegado Oswaldo Diez Júnior. Os criminosos pegaram todo o dinheiro que estava nos caixas, como pesos argentinos, peruanos, ienes, dólares e euro — mais ou menos dez tipos de moedas diferentes — e saíram do local. Havia duas funcionárias no local. Segundo a polícia, a ação durou poucos minutos e foi registrada pelas câmeras de segurança do aeroporto e do banco. “Trabalhamos com todas as hipóteses e não descartamos a participação de pessoas ligadas à casa de câmbio”, disse Diez.

Segundo a Polícia Militar (PM), o vigia que faria o rendimento ontem faltou. O falso vigia chegou a citar o nome do chefe e dizer que estava ali para o render. Os celulares do segurança que faltou, do que estava trabalhando e do substituto que foi chamado para cobrir a falta foram apreendidos.

A reportagem procurou representantes do banco e da empresa de segurança, mas ninguém quis comentar o caso. A instituição financeira apenas informou que todas as informações serão passadas para a polícia. A concessionária Aeroportos Brasil Viracopos, que administra o aeroporto, disse que contribuiu com as investigações e já cedeu as imagens para a Polícia Civil. Ate a tarde de ontem ninguém tinha sido preso.